O assunto ainda germina e precisa florescer, afinal a maconha vai muito além do baseadinho do maconheiro. A planta e seus derivados podem ajudar muito aqueles que sofrem. Por isso, no Dia Nacional contra o Câncer é marcado também pelo Dia Nacional da Maconha Medicinal.

Criado para reafirmar o caráter medicinal da maconha, a Rede Nacional de Coletivos e Ativistas pela Legalização da Maconha, nasceu durante o encontro Rio+4:20 – espaço que reuniu coletivos e ativistas antiproibicionistas na Cúpula dos Povos em 2012, resolveu propôr um ato nacional pela legalização da maconha medicinal no mesmo dia do da luta contra o Câncer – 27 de novembro, chegando a sua terceira edição neste ano.

Diante disso, os coletivos antiproibicionistas de diversas partes do Brasil, convocam a todos a participarem dos atos que ressaltam a legalização da maconha para fins medicinais.

No dia 27 de novembro deste ano, às 4:20 da tarde, no Rio de Janeiro vamos nos concentrar na Cinelândia, histórico palco da política brasileira, e depois sair em caminhada em direção ao órgão que pode acabar com essa crueldade no Brasil, a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Como a agência é bem perto, vamos retornar à Cinelândia para continuar nosso ato, com debates, arte, música, política, teatro e cinema.

10730851_814512261946759_4971008364810524515_n

Na capital Paulista o ativismo canábico informará a população sobre os benefícios da maconha, com distribuição de folhetos, cartilhas, faixas e cartazes, o ato será realizado no MASP a partir das 12:00. Em Atibaia, dentro da grade de programação do FUMEGANDO VERDE 2014, a região recebe o Cinceclube Fumegando que exibirá, na Praça da Matriz, para todo o público os curtas: Ilegal , Dirijo, O Bolo, The Flower e um longa da dupla mais conhecida do meio canábico, Cheech and Chong.

Um evento que promete um barulho pela maconha medicinal, será o Apitaço Pela Legalização da Cannabis organizado pela Marcha da Maconha de Belo Horizonte, a partir das 16:20 na Praça 7. Leve seu apito e faça MUITO BARULHO!

10390321_177935265708729_1813007305825689726_n

Em Fortaleza o coletivo Plantando Informação realiza a 3ª Ed do evento e coloca o assunto em pauta, a 27 de novembro Fortalezapartir das 4:20 da tarde, na Praça da Gentilândia (na Av. 13 de Maio com a rua Waldery Uchôa).

Em Recife novembro ficará mais verde com o Ato de APOLOGIA A CURA, organizado pelo Coletivo Antiproibicionista | PE, que começa a partir do dia 25, onde a Câmara Municipal, por meio do vereador Osmar Ricardo, irá debater o uso medicinal da maconha, com a presença de Sérgio Vidal, diversos especialistas, movimentos sociais e sociedade civil. O debate é aberto ao público. Dando sequência ao ato, no dia 26, Sérgio Vidal promoverá um curso de cultivo de plantas como temperos e outras ervas medicinais, menos maconha – afinal a ganja ainda é proibida, no Ed. Pernambuco e por fim no dia 27 pelo segundo ano, só que dessa vez na cidade de Olinda, o Centro de Cultura Luiz Freire recebe todos de portas abertas para a exibição (17h) dos Documentários de Neco Tabosa – A vida Plural de Layka/João Heleno e às 18 horas rola um debate com a presença do escritor Sergio Vidal trazendo seu livro e suas experiências sobre o tema.

Calma que não acabou, às 20 horas rola a Festa da Cultura Canábica, com os pockets shows do Quarteto 10343481_632060466919909_4222191382488415663_nOlinda, Orquestra Contemporânea de Olinda, DJ Marcel Skank, Mexidinho e muito mais. Para o dia 27 o coletivo organizador pede a contribuição de 2 ‘pratas’ ou quilo de alimento, não perecível, que será doado a Associação da Criança com Câncer.

Caso a sua cidade não tenha um Dia Nacional da Maconha Medicinal, organize um e inclua a sua região no rota do ativismo nacional.

Confira os locais, clicando e acessando o evento no face! Confirme presença, convide, compartilhe e compareça:

Rio de Janeiro – 16:20 – https:https://www.facebook.com/events/789547127769657/

São Paulo – 12:00 – https:https://www.facebook.com/events/707699359278700/

Atibaia – 19:30 – https:https://www.facebook.com/events/324083501127182/

Belo Horizonte – 16:20 – https:https://www.facebook.com/events/613929762049048/

Fortaleza – 16:20 – https:https://www.facebook.com/events/574884059311147/

Recife – 17:00 – https:https://www.facebook.com/events/1548955735319404/

Leia abaixo o Manifesto da Rede Nacional de Coletivos e Ativistas pela Legalização da Maconha | RJ

DIA NACIONAL DA MACONHA MEDICINAL – RIO DE JANEIRO

Está mais do que demonstrado e comprovado cientificamente: maconha é remédio para várias doenças graves. Amplamente utilizada como analgésico, anticonvulsivante e tranquilizante desde milhares de anos antes de Cristo, a planta vem tendo seu potencial terapêutico desqualificado pela campanha política proibicionista surgida no século passado. No dia 27 de novembro, dia da luta contra o câncer, escolhido também para representar a luta pela legalização da planta para fins medicinais, sairemos às ruas para explanar que a maconha e seus derivados podem ajudar muito aqueles que sofrem.

Contra o câncer e a AIDS, no alívio de náuseas e vômitos provocados pela quimioterapia e antivirais, reduzindo dores e espasmos musculares típicos da esclerose múltipla, dores crônicas ou neuropáticas, no controle de convulsões causadas por diversos tipos de epilepsia, a erva da paz, ou fumo de angola, é um verdadeiro milagre.

Mães e pais brasileiros, que amam seus filhos e querem vê-los bem mais do que ninguém, por terem tido a felicidade de conhecer os efeitos benéficos da substância, estão enfrentando preconceitos, discriminações e correndo o risco de sofrer as punições hoje previstas para o usuário recreativo ou ser acusados de tráfico de drogas, pois, infelizmente, as autoridades sanitárias do Brasil ainda não reconhecem a maconha como medicamento. Além da ignorância, a proibição da maconha é perversa, origina-se num sentimento de muita crueldade, tentando impedir que seres humanos ajudem seu próprio filho, sua mãe ou uma pessoa amada, uma falta total de humanidade. Falta amor nesta discussão, rodeada de maldade.

Enquanto a hipócrita guerra “às drogas” mata e encarcera a juventude brasileira pobre e negra, em países com altíssimos investimentos em medicina, como Israel, Canadá, República Tcheca e Espanha, além do Uruguai, 22 estados dos EUA e diversos outros lugares do mundo, milhares de médicos receitam legalmente maconha para milhares de pacientes todos os dias.

No dia 27 de novembro deste ano, às 4:20 da tarde, vamos nos concentrar na Cinelândia, histórico palco da política brasileira, e depois sair em caminhada em direção ao órgão que pode acabar com essa crueldade no Brasil, a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Como a agência é bem perto, vamos retornar à Cinelândia para continuar nosso ato, com debates, arte, música, política, teatro e cinema. Nossa vitória não será por acidente!

1,2,3,4 e 20 mil, legaliza ANVISA a maconha no Brasil!


RENCA – Rede Nacional pela Legalização da Maconha | Rio de Janeiro