84% dos respondentes acreditam que o consumo da maconha é menos prejudicial que o do álcool.

Entre os dias 12 e 23 de agosto o Catraca Livre, em parceria com o Conecta(Plataforma da web do Ibope Inteligência), circulou nas redes uma pesquisa sobre a legalização da maconha, que foi respondida por 19.853 pessoas. O resultado indica que 85% dos internautas do Catraca são totalmente favoráveis à legalização, 10% são parcialmente favoráveis e apenas 5% são desfavoráveis ou indiferentes.

grafico
O quanto você seria favorável à legalização da maconha no Brasil?

É interessante constatar que dos 95% total ou parcialmente favoráveis à legalização, 72% defendem a descriminalização da posse, do consumo, da venda e da distribuição, ou seja, todas as formas de livre circulação da substância.

Álcool X Maconha X Tabaco 

84% das pessoas acredita que o consumo de maconha é menos prejudicial que o consumo de álcool. Quando comparada ao tabaco, os números também são significativos. 81% dos internautas considera a maconha menos nociva à saúde do que o cigarro.

Regulamentação

O percentual de pessoas que acham que a venda e a distribuição devem ter leis regulamentadoras é de 85%, o que expressa a maturidade do público na análise do tema.

grafico2
Em comparação ao consumo de álcool, você acha que o uso da maconha é…

Benefícios

Quando foi perguntado o motivo pelo qual as pessoas eram favoráveis à legalização as respostas ficaram divididas de maneira bem igualitária. Já que cada participante tinha a opção de marcar mais de uma opção ou todas se desejasse, de acordo com o Conecta, o resultado demonstra que a maioria dos entrevistados acredita em todos os benefícios a seguir.

28% acreditam que fumar maconha deveria ser um ato legal como fumar cigarro ou consumir álcool; 24% acreditam na diminuição do crime organizado; 20% defendem uma concentração dos esforços policiais em outros tipos de crime; 19% apostam na prevenção de delitos relacionados ao tráfico como roubos e furtos.

Perfil

Das pessoas que responderam à pesquisa, 75% eram homens e 25% mulheres. A maioria dos respondentes tem curso superior incompleto (8.031) e há também um número bastante significativo de pessoas que concluíram algum curso superior (7.044). 57% dos respondentes tem idade entre 20 e 29 anos e 74% dos participantes afirmaram que fumam ou já fumaram maconha.

RESULTADO NA ÍNTEGRA