"Legalizou F***" provavelmente explanou esse senhor.

A recente decisão unânime da Suprema Corte da Cidade do Cabo ordenou que todo cultivo, posse e uso pessoal em propriedade privada sejam imediatamente autorizados. A decisão disse que a proibição da erva, ou “dagga“, como é conhecido a ganja por lá, representava uma violação inconstitucional dos direitos dos cidadãos.

Segundo informações da Agência EFE, o Tribunal do Cabo Ocidental declarou que a proibição da erva, ou “dagga” como é comumente conhecida no país, representava uma violação inconstitucional dos direitos dos cidadãos.

A questão foi levada ao tribunal sul-africano pelo advogado rastafári e defensor da cannabis Ras Garreth Prince pelo partido pró-legalização, liderado por Jeremy Acton.

Leia também:  Morador do Paraná encontra maconha na frente de casa

A decisão unânime dos três juízes da Suprema Corte da Cidade do Cabo ordena que todo cultivo, posse e uso pessoal em propriedade privada sejam imediatamente autorizados.

Agora o Parlamento Sul-Africano deverá analisar e refletir sobre a decisão do tribunal. A recente decisão é uma grande vitória para a cultura cannabica sul-africana.


Advogado Rastafari?
Sim! A proposta lá foi conduzida pela comunidade Rastafari, para os rastafaris a cannabis é uma planta sagrada para uso espiritual, eles afirmam que é a árvore da vida, mencionada na Bíblia.

A religião rastafari surgiu em 1930s, depois da coroação do imperador Haile Selassie da Etiópia, que reivindicou ser deus messias encarnado.

Qual é o Deus da Maconha?

Agora Responda:

Carregando ... Carregando ...

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here