Numa clara demonstração de luta pela liberdade e contra o proibicionismo, a ACP – Advogados Contra o Proibicionismo, divulgou, na última semana, uma nota de repúdio à OAB do Ceará e à sua associada, Rossana Brasil, que insistentemente nas audiências públicas do senado sobre as drogas – #SUG8, designadas pelo Senador Cristovam Buarque, tentam de forma anti-democrática e caluniosa, calar o debate que visa uma reformulação da política anti-drogas no país.

NOTA DE REPÚDIO CONTRA A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO ESTADO DO CEARÁ – OAB/CE

A Ordem dos Advogados do Brasil tem como indelével em seu brilhante histórico a firme atuação no processo de redemocratização do país. Vários membros foram perseguidos pela Ditadura Militar que assolou o nosso Brasil por 21 anos a fio, com os direitos à liberdade de expressão e locomoção cerceados, até que os primórdios da democracia fossem alcançados a duras penas e muita luta, como a do memorável e exemplar advogado Sobral Pinto, para citar um dos maiores exemplos.

Democracia pressupõe abertura para o diálogo franco da população e a OAB-CE vem participando ativamente das audiências públicas designadas pelo Senador Cristovam Buarque perante a Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado Federal, por intermédio da presidente da Comissão de Políticas Públicas Sobre Drogas da OAB Ceará, Rossana Brasil, que, associada ao grupo Brasil sem Drogas e o movimento “Maconha Não”, reiteradamente tenta calar o processo democrático de tema tão caro à sociedade que é o do fim da guerra aos pobres, travestida maquiavelicamente pelo cognome “guerra às drogas”. Grupos estes que guardam vieses notadamente religiosos e fundamentalistas, com o fito de espalhar mais medo e inverdades à sociedade, como faziam os militares à época das liberdades tolidas, ao invés de se dispor ao diálogo franco e análise das pesquisas aprofundadas sobre o que as ciências biológicas, químicas e sociais, aliadas às experiências mundiais, têm a demonstrar. Um dos membros do grupo que a Sra.Rossana é associada, chegou ao máximo do desrespeito ao acusar de forma caluniosa um cientista convidado pelo senador, de fazer apologia às drogas.

É inadmissível, portanto, que esta Seccional se coloque contrária ao diálogo democrático de maneira tão peremptória e definitiva, ao invés de incentivá-lo, ao menos em memória aos membros que lutaram pelo fim da ditadura. Sua representante, portanto, macula a imagem dessa Seccional do Ceará e também dos advogados que representa.

Atenciosamente,

Forum Advogados Contra o Proibicionismo – ACP
Pela Ampla Discussão Sem Tabus e Erradicação da Violência
Advinda da Política de Guerra às Drogas

Aperte e Leia: A quem realmente interessa a proibição?

Curta ACP no Facebook: https:https://www.facebook.com/advogadocontraoproibicionismo