A decisão de proibir os itens à venda no aeroporto de Denver serve para não passar uma imagem errada do Estado, apesar dos turistas poderem consumir legalmente a erva.

O Colorado legalizou o uso da maconha, mas o aeroporto de Denver, principal cidade do estado dos EUA, continua fechado para erva. Agora, autoridades Marijuana Souvenirs Airportresolveram também vetar a venda de suvenires com o tema maconha no terminal, segundo o jornal Daily Mail.

Um porta-voz do aeroporto disse que a decisão é porque as lembranças podem manchar a imagem do Estado.

“Nós não queremos que a maconha seja a primeira coisa que nossos visitantes experimente quando desembarcam, disse Heath Montgomery, porta-voz do aeroporto.

No entanto, enquanto a posse de maconha e qualquer publicidade relacionada com a erva já foram proibidos, a proibição foi estendida este mês depois que Ann Jordan, dona da High-Ly Legal Colorado, procurou um quiosque para comercializar produtos com a estampa da maconha, como bermudas, chinelos, meias e itens semelhantes.

Entretanto a empresária rejeitou as argumentações lembrando que os produtos são legais e que o aeroporto internacional de Denver conta com uma área dedicada à cerveja.

‘Por que todos estão tão irritadas com a imagem de uma planta?’, questiona Ann Jordan, acusando as autoridades de Denver de hipocrisia.

Maconha Jodan Estampa
Ann Jordan, dona da High-Ly Legal Colorado, exibe produtos da sua empresa.

A empresária até poderia processar o aeroporto depois da proibição dos suvenires, mas é improvável que Jordan tenha sua reivindicação atendida. Os aeroportos possuem um amplo poder para controlar suas concessões e podem limitar atividades de liberdade de expressão, tais como distribuir panfletos.

No ano passado, 29 pessoas foram flagradas tentando embarcar portanto maconha. Em todos os casos, a polícia se recusou em puni-los e os passageiros foram autorizados a realizar o embarque depois de jogarem fora a erva.

Porém os funcionários do aeroporto admitem que não conseguem vetar os slogans presentes como “Rocky Mountain High”