Os defensores da legalização da maconha estão esperando que o Alasca siga o exemplo dado pelo Colorado e Washington.

Timothy Hinterberger, disse ao Anchorage Daily News, que o plebiscito para legalizar o uso recreativo da maconha no Alasca está com meio caminho andado. Hinterberger, que patrocinou a iniciativa, e seus seguidores precisam reunir cerca de 30 mil assinaturas válidas, até 1 de Dezembro, para colocar a iniciativa em votação no próximo ano.

“Em uma sociedade livre, a proibição de substâncias populares é apenas uma má política pública”, disse Hinterberger.

Se for aprovada pelos eleitores, a medida permitirá que aqueles com 21 anos ou mais poderão usar e portar até uma onça (28g) de maconha para uso recreativo. A maconha medicinal é legal no estado desde 1998.

A medida é semelhante a duas iniciativas de sucesso no Colorado e no estado de Washington. Moradores de ambos os estados votaram a favor da legalização da maconha em 2012.

O Departamento de Justiça dos EUA finalmente respondeu aos esforços de legalização ao anunciar que não iria interferir os estados que legalizarem a maconha para uso médico e recreativo. O anúncio foi destinado a esclarecer as discrepâncias entre as políticas de maconha estaduais e federais, e tem dado esperança aos ativistas pela maconha como Hinterberger.

“Eu acho que isso mostra que estamos no caminho certo em pensar que as coisas estão realmente mudando, tanto na política federal, bem como no sentimento do público. Ele elimina um dos argumentos que às vezes ouço contra uma iniciativa como a nossa – não importa o que fazemos a nível local como um Estado, porque os federais ainda vão entrar “, explicou ao Anchorage Daily News.

Em um comunicado divulgado na segunda-feira, o Marijuana Policy Project, disse que o Alasca foi um dos dez estados que esperavam para legalizar a maconha em 2017. O grupo disse que estava apoiando a unidade de petição, no Alasca, e planejou iniciativas eleitorais semelhantes em outros quatro estados.

“A maioria dos americanos estão cansados de ver seus impostos usados para prender e processar adultos que utilizam uma substância que é objetivamente menos prejudicial do que o álcool”, disse o diretor executivo do MPP Rob Kampia. “Os eleitores e os legisladores estaduais estão prontos para a mudança, e que o governo federal parece estar pronto, também.”

Tradução SmokeBud
Via, The Raw Story