A Maconha Medicinal pode aliviar a dor e náuseas, mas também pode causar diminuição da amplitude de atenção e perda de memória. Um novo estudo, realizado em ratos, descobriu que tomar um medicamento não controlado (sem necessidade de receita médica) como o ibuprofeno pode ajudar a conter esses efeitos colaterais.

“Isso é o que chamamos de um artigo inspirador”, disse Giovanni Marsicano, neurocientista da Universidade de Bordeaux, na França, que não estava envolvido no trabalho. Se os resultados forem comprovados em seres humanos, eles poderiam ampliar o uso medicinal da maconha. Muitas pessoas em ensaios clínicos estão saindo de tratamentos, alegando: ‘Eu não posso trabalhar mais. Estou chapado o tempo todo.’ ”

As pessoas têm usado maconha durante centenas de anos para tratar doenças como a dor crônica, esclerose múltipla e epilepsia. Estudos em ratos mostraram que ela pode reduzir um pouco a lesão neural observada na doença de Alzheimer. O principal ingrediente psicoativo, tetraidrocanabinol (THC), é aprovado pela Food and Drug Administration para o tratamento de anorexia, pacientes com AIDS e das náuseas desencadeadas pela quimioterapia. Embora os usuários de drogas recreativas geralmente fumem maconha, os pacientes com prescrição para THC a utilizam como cápsulas. Muitas pessoas acham que os efeitos colaterais são difíceis de suportar, no entanto.

A causa exata destes efeitos secundários ainda não é clara. No cérebro , o THC se liga aos receptores denominados CB1 e CB2, que estão envolvidos no desenvolvimento neural, bem como na percepção de dor e apetite. Os receptores são normalmente ativados por compostos semelhantes, chamados endocanabinóides, que são produzidos pelo corpo humano. Quando um destes compostos se liga aos receptores CB1, suprime a atividade de uma enzima chamada ciclooxigenase- 2 (COX-2). A enzima tem várias funções. Por exemplo, analgésicos tais como ibuprofeno e aspirina trabalham ao bloquear a COX-2. Os investigadores colocaram a hipótese de que a supressão da COX-2 pode ser a solução para os efeitos colaterais do THC, tais como problemas de memória.

Mas isso não é o que os pesquisadores descobriram no novo estudo. Uma equipe liderada por Chen Chu, um neurocientista da Universidade Estadual de Louisiana, descobriu que dando THC a ratos aumentou a atividade da COX-2. O bloqueio desta ativação aliviou os problemas de memória e de aprendizagem desencadeados pelo THC. Por exemplo, os ratos que receberam uma dose de THC diariamente durante uma semana tinha problemas para memorizar a localização de uma plataforma escondida num tanque de água. No entanto, quando o COX-2 foi bloqueado, ratos que receberam o THC encontraram a plataforma tão rapidamente como os ratos que não foram tratados com o THC. Este resultado sugere “que os efeitos colaterais indesejáveis da cannabis poderiam ser eliminados ou reduzidos… pela administração de um inibidor da COX- 2”, descreveram os autores.

maconhamrofina

Raul Gonzalez, um psicólogo da Universidade Internacional da Flórida, elogia o “elegante conjunto de experiências.” Mas ele adverte que não é claro se a inibição da COX-2 bloquearia também os efeitos benéficos da maconha. No estudo, Chen e colegas mostraram que alguns efeitos positivos do THC, tais como as observadas em estudos com ratos portadores de doença de Alzheimer, ainda são vistos mesmo quando recebem um inibidor de COX-2. Mas um tal inibidor pode ainda interferir com os efeitos positivos do THC em outros distúrbios, tais como AIDS, segundo Gonzalez “é muito cedo para dizer, mas o estudo atual, sem dúvidas, estimula uma nova investigação emocionante.”

Uma das conclusões do estudo é que o THC e os endocanabinóides podem causar efeitos opostos quando se ligam a receptores CB1, diz Marsicano. Isso sugere que pode ser demais pensar em um receptor como o CB1 como um simples interruptor que sempre faz a mesma coisa, se ele é ativado. Por exemplo, CB1 pode vir em formas ligeiramente diferentes e o THC pode particularmente se ligar a apenas uma dessas formas. Os autores argumentam que um analgésico como a aspirina também podem impedir algumas das desvantagens do abuso da cannabis. Mas Gonzalez adverte que inalar maconha libera muito mais compostos ativos do que o THC, e que isso também pode estar envolvido em prejudicar a memória e outros efeitos colaterais.

Quanto às pessoas que usam maconha para fins recreativos, tomar ibuprofeno também pode estar “cortando a onda” que estão procurando, diz Marsicano. Por exemplo, os efeitos na memória podem fazer as pessoas saltar de um assunto para o outro durante a conversa, e eles podem se divertir fazendo isso. “Então, o que nós chamamos de efeitos secundários podem na verdade ser os motivos reais para pessoas utilizarem a maconha, em primeiro lugar.”

Tradução SmokeBud, via Sun-Sentinel

  • Guilherme

    Olá vc tem o link do artigo científico de onde tirou essas informações? eu gostaria de usar como trabalho da faculdade e se possivel fazer os testes!

  • nana

    tÔ a seis dias com o efeito!, fumei skunk na sexta, mas ate agora o efeito nao quer sair . se eu tomar ibuprofeno corta o efeito?

    • Darlan Campos

      Deu certo?