O Uruguai abriu nesta quarta-feira (27) o registro para os cultivadores de maconha como parte de sua nova política de produção e venda da erva com a supervisão do Estado. A autorização de cultivo de cannabis também pode ser feita por estrangeiros com residência permanente no país. As informações são da UOL.

MONTEVIDÉU, 29 AGO (ANSA) – O Instituto de Regulação e Controle da Cannabis (Ircca) do Uruguai recebeu 54 pedidos nos dois primeiros dias após a abertura da inscrição para pessoas que pretendem cultivar maconha em suas casas para consumo próprio.

Para se inscrever como produtor, a pessoa deve apresentar nas agências de correio locais a cédula original de identidade e um comprovante de residência. Seis pés de maconha serão permitidos por residência.

O organismo ainda informou, por meio de comunicado, que 22 empresas (das quais dez são estrangeiras) estão interessadas em produzir e distribuir a substância.

O comércio de maconha também será realizado em farmácias, sendo que o usuário deverá ser residente do Uruguai e poderá comprar no máximo 40 gramas mensais. Os usuários ainda poderão se juntar a um clube canábico, que poderá ter entre 15 e 45 membros e plantar até 99 pés da erva, sendo que cada participante receberá até 480 gramas da droga por ano. (ANSA)