Pensando em comprar sementes pela internet? Melhor tomar cuidado. Entenda como a Polícia Federal está intimando usuários com o motivo de apurar possíveis casos de tráfico de drogas neste texto genial do Dr. André Barros – advogado da Marcha da Maconha, Secretário-Geral da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ e membro da Comissão de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros.

Em maio e junho deste ano, muitas pessoas foram intimadas no Rio de Janeiro pela Polícia Federal. Nas conversas dos corredores, cheguei a ouvir que foram realizadas 2500 apreensões de lotes de semente pelo correio no Brasil. Num único dia, 60 pessoas foram ouvidas na Corregedoria da Polícia Federal do Rio de Janeiro. Todas compraram sementes de maconha em diversos sites internacionais com seus próprios cartões de crédito nos seus endereços.

Ouvindo algumas pessoas na sala de espera, fiquei impressionado com número de histórias de uso medicinal da planta para hipertensão arterial (pressão alta), estresse, câncer. A maioria se arrependeu e não realizou novas compras depois que souberam das sementes apreendidas. Já haviam esquecido de compras realizadas há dois anos. E agora, a Polícia Federal do Paraná, estado por onde chegam as sementes que são apreendidas, resolveu instaurar inquérito para cada lote de semente importada para apurar possível “tráfico de drogas”. Para cada inquérito instaurado para plantadores de fora do Paraná, é expedida uma carta precatória para a Polícia Federal do local do endereço do comprador a fim de colher o seu depoimento.

Muitos desses compradores queriam plantar pequena quantidade para uso próprio para fins medicinais. Pessoas que não aguentam mais tomar remédios que agridem seriamente o organismo, as deixam completamente derrubadas, sem condições de fazer nada. Buscam na maconha uma alternativa natural, mais saudável, e que permite a pessoa continuar trabalhando e viver uma vida normal. Pessoas adultas, identificadas civelmente, com trabalho, renda e residência fixa, que conheceram os benefícios medicinais da maconha através do debate internacional do tema, do debate no país a partir das marchas da maconha e da decisão do Supremo Tribunal Federal na Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 187.

As sementes são compradas em sites internacionais, em regra, com cartão de crédito, com todos os ingredientes do mercado. Ingenuamente, a maioria das pessoas acompanha o debate internacional e acham que o Brasil está na mesma onda mundial da legalização. Aqui, com a eleição de um Congresso reacionário e punitivo, se conseguirmos manter as conquistas, impedir o retrocesso e descriminalizar com a decisão do STF no Recurso Extraordinário nº 635659, já será uma grande vitória.

Foto de Capa: RRocha | SmokeBud

  • Joao Maria

    legalize ja