Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta segunda-feira que aumentou o número de pedidos de importação do extrato à base de Canabidiol (CBD), derivado da maconha. São produtos de controle especial e sem registro no país.

O número de pedidos de importação de medicamentos de controle especial e sem registro no Brasil cresce semanalmente desde que a Agência criou mecanismos para que as pessoas possam ter acesso a esses medicamentos sem demandas judiciais.

De acordo com a agência, até a última sexta-feira (05/9) foram registrados 74 pedidos de importação, sendo 58 autorizados. Outros sete estão em análise e sete aguardam o cumprimento de exigência pelos interessados. Ocorreram, ainda, dois arquivamentos de processos: um por interesse da família e um caso de falecimento [que seria evitado se a Anvisa colaborasse agilizando a reclassificação do CBD e sendo menos burocrática] de paciente logo após a entrada do pedido na Agência.

Das 13 demandas judiciais contabilizadas, dez foram deferidas. O prazo médio das liberações pela Anvisa é de uma semana.

Leia também:  Maconha pode deixar lista de substâncias proibidas pela NBA

Os procedimentos para ter acesso sem necessidade de entrar na Justiça estão publicados no Portal da Anvisa. Confira o link mais orientações para importação: //s.anvisa.gov.br/wps/s/r/cTr3

O pedido de excepcionalidade é necessário porque medicamentos sem registro no país não contam com dados de eficácia e segurança registrados na Anvisa. Neste caso, cabe ao profissional médico a responsabilidade pela indicação do produto, especialmente na definição da dose e formas de uso.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here