Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O aumento do tráfico e do consumo de cocaína no Brasil durante a Copa de 2014 é foco de uma operação conjunta das polícias do Brasil e de países da UE (União Europeia).

O bloco europeu, em estudo apresentado nesta segunda-feira em Madri, situa o Brasil como “o lugar mais importante para o negócio do narcotráfico mundial” atualmente.

“Evidentemente que na Copa o tráfico de cocaína vai aumentar, porque vai haver um trânsito importante de pessoas”, disse à Folha o inspetor-chefe da polícia espanhola, Marcos Alvar.

Alvar é coordenador na Europa do Ameripol, projeto no qual polícias da Europa e América Latina trocam informações.

Forças policiais de ambos os continentes trabalham em operação para conter a entrada de cocaína no Brasil durante os jogos do mundial.

O estudo feito com as informações do projeto diz que Brasil se tornou o epicentro do narcotráfico mundial.

Isso porque, diz o documento, o país é refúgio para chefões do tráfico da América Latina em fuga, ponte principal para distribuição da droga produzida no continente para a Europa, provedor de produtos químicos para a produção de algumas delas e também agora um importante mercado consumidor.

Além disso, o país virou a base das grandes novas rotas do tráfico mundial, que, segundo o estudo, passa pela África para seguir à Europa e à Ásia.

No documento, a UE afirma ainda que a Polícia Federal brasileira, apesar de “altamente profissional, tem força limitada, com menos de 8.000 homens, e faltam investigadores criminais no país”. “Falta também um empurrão político”, afirmou Alvar.

O documento alerta ainda para a fragmentação da entrada de drogas no Brasil. A maior parte delas, afirma, entra por pequenos meios de transporte, como avionetas, balsas e caminhonetes, vindas da Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia.

O Brasil passou a preocupar a União Europeia não apenas pela produção e transporte para a Europa, mas agora pelo consumo interno. A maior parte da cocaína que se consome no Brasil, no entanto, é de qualidade ruim, originária da Bolívia, porque a colombiana costuma ir direto para a Europa. Já a maconha consumida internamente vem em maior parte do Paraguai, afirma o documento.

Via Folha de S.Paulo

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here