Com uma tática nebulosa, ausente de verdade e na esperança de regredir o debate sobre um tema que vem sendo discutido mundialmente, peças que questionam sobre ser operado por um médico ou voar com um piloto que tenham fumado maconha, viram piada nas redes sociais.

Recentemente (06) a página ‘Brasil Sem Drogas’, no Facebook, lançou uma campanha, com o apoio da ONG Movida (Movimento Pela Vida e Não Violência) e do Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará, contra a legalização da maconha.

“Você teria coragem de ser operado por um médico que acabou de fumar um baseado?”, diz uma das peças. “Você entraria num avião cujo piloto acabou de fumar um bagulho?”, questiona outra.

Campanha Piada Web
Peça ‘original’

As peças da ação que geraram polêmica nas redes sociais, principalmente no Twitter, trazem na sequência o texto “Se a maconha for legalizada, isso será normal”. A campanha, que rapidamente ganhou o tom de ironia, deveria ter sua veiculação proibida em qualquer meio, levando em consideração o desserviço de informação e a manipulação da população.

Uma propaganda tão fraca quanto os ataques proibicionistas, que beiram o chilique, induz a sociedade a crer que a única coisa que impede médicos e pilotos de se chaparem é a proibição, algo que não condiz com a realidade. Ao invés de investir em peças voltadas à redução de danos, o lobby proibicionista prefere insistir na utopia de um Brasil sem Drogas.

Ainda bem que para entender que a guerra às drogas é uma guerra perdida não precisa ser PhD, basta apenas se atualizar com informação, pesquisas e experiências de outros países para enxergar que a regulação da maconha é um opção sadia à toda sociedade e principalmente aos não usuários.

O que vai evitar dos médicos e pilotos se chaparem ‘loucamente’ é a informação e normas regulativas, mas nunca a proibição. A proibição mantém o assunto demonizado – bem a cara da bancada evangélica – e não proporciona condições para que sejam criadas normas regulativas como a do álcool – ou você acha que não há “Lei Seca” para pilotos? Algo que deveria haver inclusive para médicos – evitando que ocorra tais atos às sombras da proibição.

A seguir confira algumas críticas e ironias sobre a iniciativa, nas redes sociais.

“Quem defende a regulamentação da maconha no campo da saúde tem como foco controle dos riscos desta substância e das consequências da violência e do encarceramento.”Luís Fernando Tófoli

 

“Lamentável.
Só vejo trevas no caminho dessa gente.” – Tico Santa Cruz 

  • Vc teria coragem de ser operado por um baseado que fumou um medico???

  • tiago

    se tem medo de morrer estracalhado nao voe de aviao.

  • tiago

    se tem medo de morrer estraçalhado nao voe de aviao.