O ano para o movimento cannábico só poderia começar com o lançamento de seu calendário. E foi isso que fez a RÁDIO LEGALIZE, no dia 18, na loja pioneira na organização da Marcha da Maconha: LA CUCARACHA, rua Teixeira de Mello, loja 31 H, Praça General Osório, Ipanema. Os calendários podem ser adquiridos na própria loja, bem como através do link

//www.radiolegalize.com/shop/product.php?id_product=75

Além de bonitas, as doze mulheres que simbolizam cada mês do ano estão no calendário porque têm atitude. Ninguém recebeu um tostão e todas estavam lá pela legalização da maconha. Vendo o calendário todos vão compreender melhor o que estou escrevendo. Apenas a maquiadora e o cabelereiro foram pagos, mas não quiseram vincular sua imagem ao evento e não participaram do vídeo sobre os bastidores das fotos.

Fazer este lindo calendário não foi nada fácil. Além da falta de dinheiro, várias gráficas do Rio de Janeiro e Juiz de Fora não quiseram fazer a impressão, mesmo após o esclarecimento de que o Supremo Tribunal Federal decidiu a favor da Marcha da Maconha e pode descriminalizar o porte para consumo próprio de todas as substâncias proibidas ainda este ano.

Bianca Guerra, Katharina Essus, Thais Ida, Jota Carneiro, Lara Montenegro, Brenda Melo, Mariana Moraes, Fabiana Pontes, Carla Fraissat, Mariana Sayão, Maira Guarabyra, Ana Laura são as doze mulheres da Rádio Legalize, Marcha da Maconha, Growroom, Planta na Mente, SmokeBud, Hempadão, Movimento pela Legalização da Maconha, Filipeta da Massa, Canna Cerrado, Tarja Preta, Desentorpecendo a Razão, Psicotrópicus, Igreja do Reino de Jah, Maconha da Lata, Cultivando uma Ideia, Legalize o Boldo, Princípio Ativo, Cabeça Ativa, Legalize-se, Plantando uma Ideia, Cannabis Ativa, Ganja Livre, Horta Urbana, e de todos do movimento cannábico que não lembramos no momento. Elas botaram a cara e construíram esse lindo calendário que vai nortear os dias desse 2012 da maconha. Raonni Mouchoque, Matias Maxx, Leonardo Chaves, Ingrid Sarraf, Leandro Baré, Gabriela Caruso, Vagner doNasc, Artur Araújo e Ariadne Schumacher cuidaram da estrutura e enfrentaram todas as adversidades materiais e extrajudiciais para organizar o calendário da maconha. Dias marcantes da luta pela liberdade da planta foram registrados em cada mês com as lindas fotos, como o dia 15 de junho: “Julgamento da Marcha da Maconha pelo STF (2011)”.

Mais de cem presenças no lançamento traduziram a felicidade do evento. Mas o momento sublime foi a chegada de Lara com sua linda filha Lelê, que estava no calendário na barriga da mãe e representa a potência da vida em nosso movimento. O espírito do calendário é a marca da Marcha da Maconha: atitude, coragem, consciência, luta, beleza, diversidade, alegria, paz e amor. E viva o nosso calendário, que vai angariar fundos para a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro!