“Temos de aproveitar a multidão espalhada pelos imensos blocos para convocar para a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro. Quando alguém estiver fumando ao seu lado, convoque para o nosso evento político perguntando: você vai à Marcha da Maconha? A resposta sempre vem com uma pergunta: quando vai rolar? E precisa ser replicada de pronto: fica tranquilo, bota na cabeça, em MAIO, irmão!”

Sem falar do nosso bloco Planta na Mente, que vai desfilar na quarta-feira de brasas, saindo dos Arcos da Lapa no tradicional horário às 4:20 da tarde, a Marcha da Maconha vai rolar pelo carnaval da cidade.

É público e notório o uso da erva da paz nos blocos da cidade. São tantas brasas acesas que a repressão fica perdidinha sem saber de onde vem a marola. No meio da festa, não se atrevem a entrar para reprimir, ficando parados só sentindo o aroma.

Porém, quando vejo tantas pessoas curtindo o barato, penso como seria a Marcha da Maconha se todos comparecessem ao evento político mais importante da nossa luta pela legalização. Precisamos do apoio dos que não usam a planta, mas a presença dos usuários deveria ser obrigatória. Não por obrigação, e sim para não perder essa grande curtição.

Sem correr o perigo da demora e por fumus boni iuris, quinze dias depois da brutal repressão sofrida pela Marcha da Maconha de São Paulo naquele ano, o Supremo Tribunal Federal garantiu o nosso evento em 15 de junho de 2011. Nesse dia histórico, após relatório e voto do decano Ministro Celso de Mello, ganhamos por 9 X 0 a Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 187. Depois, em 23 de novembro do mesmo ano, na Ação Direita de Inconstitucionalidade nº 4274, o STF confirmou a decisão anterior e por 8 x 0 foi declarado que a Marcha da Maconha está baseada no artigo 5º, inciso XVI, da lei mais importante do Brasil, a nossa Carta Política, a Constituição Federal.

Temos de aproveitar a multidão espalhada pelos imensos blocos para convocar para a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro. Quando alguém estiver fumando ao seu lado, convoque para o nosso evento político perguntando: você vai à Marcha da Maconha? A resposta sempre vem com uma pergunta: quando vai rolar? E precisa ser replicada de pronto: fica tranquilo, bota na cabeça, em MAIO, irmão!

Foto de Capa: Leonardo Chaves