Um novo estudo publicado pelo British Journal of Pharmacology (Jornal britânico de farmacologia) descobriu que não só pode o CBD (cannabidiol, um composto da maconha) proteger os pacientes de câncer de mama contra a neuro toxidade e dor associada às drogas da quimioterapia, como pode aumentar a capacidade dessas drogas no combate ao câncer.

De acordo com os pesquisadores, ‘’O Paclitaxel (medicamento usado no tratamento de câncer) é associado a uma dor neuropática induzida pela quimioterapia (CIPN), estado que pode levar a interrupção do tratamento em pacientes na fase final do câncer, mesmo na ausência de terapias alternativas. Eles afirmam que: ‘’De fato, até o momento nenhuma droga ou classe de droga é considerada eficaz para a reversão do CIPN‘’.

Na tentativa de encontrar uma substância que pode prevenir esses efeitos colaterais, os pesquisadores estudaram o efeito do cannabidiol (CBD) em ratos com câncer de mama, que foram administrados o Paclitaxel (PAC).

‘’Nossos dados sugerem que o CBD é um protetor contra a neurotoxina provida do PAC e que esse efeito é em parte, mediado pelo sistema receptor do 5–TH1A’’, reivindica os pesquisadores. ‘’Além disso, o tratamento com o CBD foi desprovido de outros efeitos no sistema nervoso, tal como uma recompensa condicionada ou comprometimento cognitivo. O CBD também não atenuou a eficácia do PAC em inibir a viabilidade do câncer de mama.‘’

Eles concluem ‘’Em um todo, o tratamento adjunto com o CBD durante o tratamento da quimioterapia com o PAC pode ser seguro e eficaz na diminuição ou prevenção do CIPN (Dor neuropática que pode ser causada pela quimioterapia)‘’.

Acesse o estudo

Tradução SmokeBud
Via The Joint Blog