A Comissão de saúde da Câmara dos Deputados do Chile aprovou nesta segunda-feira um projeto que legaliza o cultivo de maconha para fins medicinais e recreativo privado.

O projeto deve agora ser votado na Câmara e depois ser avaliado pelo Senado.

O deputado do Partido Socialista do Chile (PS) e presidente da Comissão de Saúde, Juan Luis Castro, afirmou que já atingiu a aprovação de 90 por cento da proposta legislativa, durante o primeiro debate, em 30 de março, embora tenham ficado pendentes para votação alguns artigos que serão revisados na sua redação.

“O critério da comissão não é dar liberdade absoluta é apenas permitir o uso medicinal prescrito por um médico e liberar o auto-cultivo com um limite máximo seis plantas, ou a posse máxima de 10 gramas” – Juan Luis Castro

“Se você tirar o consumidor recreativo, quem gosta de fumar maconha, e aqueles que a utilizam por razões médicas, você remove o mercado do narcotráfico. E se você retirar os clientes, ele deixa de ser um negócio lucrativo”, segundo Alberto Robles, o deputado que propôs projeto de lei de descriminalização da maconha, a AFP

O projeto mantém a proibição de fumar em público. Se o projeto de lei for aprovada, a maconha passará a lista de drogas brandas como o álcool.