A visão do governo do Uruguai (que legalizou a maconha sob o controle do Estado) não corresponde à posição da Rússia, que trabalha há muito tempo para criar uma rede de aliados na América Latina na luta contra as drogas.

Após a cúpula do G20, os EUA e a Rússia começaram um debate sobre a liberalização do mercado de maconha. Durante os últimos meses, Washington e Colorado legalizaram a venda da droga para uso terapêutico e recreativo. O uso de maconha também é permitido na Califórnia e cinco outros estados planejam legalizar a droga no futuro próximo.

O Uruguai também se juntou a essa onda de legalização. O país se tornou o líder na defesa dos direitos das minorias sexuais e na liberalização do uso de maconha com fins terapêuticos e recreativos.

Autoridades uruguaias alertaram os consumidores divulgando informações sobre as graves consequências do uso de drogas. Além disso, após a aprovação da lei pelo Senado uruguaio, o presidente do país declarou que ela poderá ser cancelada caso o governo perca o controle sobre circulação e uso dessas drogas na rua.

A visão do governo do Uruguai não corresponde à posição da Rússia, que trabalha há muito tempo para criar uma rede de aliados na América Latina na luta contra as drogas.

As autoridades uruguaias afirmam que essa medida foi tomada precisamente para combater violência causada pelo uso de drogas. De acordo com o governo do Uruguai, os autores da iniciativa se baseiam na experiência dos efeitos desastrosos após a criminalização da venda e consumo de álcool nos EUA nos anos 30, com o consequente aumento da criminalidade e assassinatos realizados pela máfia, que tomou controle sobre o produto. Quando os americanos legalizaram o álcool, o nível da criminalidade caiu significativamente.

A posição da Rússia

Nesse ano, o diretor do Serviço Federal de Controle de Drogas da Rússia (FSKN, na sigla em russo), Víktor Ivanov, realizou várias visitas a diferentes países da América Latina, como, por exemplo, o Brasil e o Peru, onde abriu representações do órgão russo.

A posição da Rússia é inapelável: tolerância zero ao consumo e distribuição de drogas. “Na Rússia, no momento, é impossível legalizar maconha e creio que nunca vá ser”, declarou Ivanov.

O presidente russo Vladímir Pútin está de acordo com Ivanov. Durante a 30a Conferência Internacional das Agências de Aplicação das Leis para Combater o Tráfico de Drogas (IDEC, na sigla em inglês), Pútin declarou que estava preocupado com novas leis nos países europeus que legalizam “drogas leves”.

De acordo com Pútin, o método principal para combater o tráfico de drogas é a luta financeira. “Identificação e apreensão da propriedade dos traficantes de drogas ajudará a combater o tráfico de drogas no nível internacional”, declarou o presidente.

Experimentos na Rússia

Na Sibéria, cientistas russos tentaram cultivar maconha sem elementos psicoativos para usar a planta na produção de roupas e cordas. No entanto, o clima muito seco nessa região apenas aumentou o conteúdo de elemento THC. Depois do fracasso, o governo russo terminou o experimente e proibiu o cultivo de maconha.

Via Gazeta Russa