Usuário ou não, todos já sabem que a repressão só traz ainda mais danos a uma sociedade já machucada por diversas outras injustiças. E mais do que nunca, a pressão da sociedade faz sim diferença para alterar o status quo. Por isso, o SmokeBud pede: lute pelos seus direitos individuais ao lado de seus irmãos e irmãs maconheirxs nas Marchas da Maconha, que começaram a rolar a partir de 11 de Abril por todo o Brasil.

Esqueça a velha história de que “uma pessoa não faz diferença”. Faz sim… E muito – vide exemplos como Uruguai e diversos estados dos EUA que legalizaram a erva em 2014 também por pressão popular. Por este motivo, declaramos oficialmente aberta a temporada de Marchas da Maconha por todo o Brasil: chegou a hora de você ir às ruas lutar por seu direito individual de plantar e consumir a boa e velha erva ao lado de seus irmãos e irmãs que também sofrem com a repressão.

Em terras tupiniquins, finalmente nota-se uma diminuição da resistência por parte da sociedade e dos políticos em assumir o fracasso da guerra às drogas e que a forma mais efetiva de acabar com o tráfico é a regulação, tendo o ano passado inteiro repleto de debates, atingindo a ANVISA, Médicos, Conselhos e fazendo alguns políticos se mexerem por contra das propostas de clamor popular, a #SUG 8 que pede a regulação da maconha para fins recreativo, medicinal e industrial e a #SUG 10 que debate o porte e cultivo para consumo pessoal. Paralelamente a esse novo cenário de debates, o ano de 2015 começou com uma série de prisões de cultivadores, já tendo muitos destes condenados por tráfico de drogas, através de uma lei estúpida que com seu viés condena quem diretamente quem combate o tráfico, o Grower – cultivador caseiro.  Aos poucos, os muros da ignorância vão caindo e a verdade sobre a erva tem que se tornar cada vez mais interesse público.

Como bem observado pela socióloga Julita Lemgruber, em entrevista a Rede Brasil, a sociedade brasileira precisa abrir definitivamente o debate sobre a Lei de Drogas. “Esses usuários estão querendo plantar sua própria maconha e não procurar um fornecedor, não ser peça de uma engrenagem criminosa, afinal a comercialização da maconha está criminalizada. O Brasil insiste numa política de avestruz, de não querer ver a realidade que está à sua frente”,

Problemas  como os dos cultivadores, de pacientes, de usuários e de toda a sociedade que acaba vitimada pela guerra às drogas, poderiam muito bem serem extintos com a regulação no Brasil. Apoiamos também o modelo de regulamentação do uso medicinal da maconha, como acontece em diversos países, para que as pessoas tenham acesso à planta como um todo e a um tratamento fitoterápico completo que envolve a utilização de dezenas de princípios ativos e não apenas de um o CBD, que mesmo com sua importação ‘liberada’ ainda é muito caro. Queremos o fim da Guerra contra às pessoas em nome do falso combate e controle sobre as drogas.

Mas para isso é necessário sairmos da frente do PC e lotarmos às ruas nas marchas, precisamos de todo o esforço possível, de todas as partes para que possamos um dia ter uma lei justa ao usuário e mais benéfica a toda sociedade.

Lembramos que a nossa luta não é pelo chamado “libera geral”, e sim por um mercado que esteja na mão no próprio consumidor e não de bandidos que só querem sua grana. Pela legalização do cultivo caseiro, do uso medicinal, das pesquisas científicas, pela garantia de direitos ao uso religioso, pelo uso cultural e recreativo de maconha e pela descriminalização dos usuários e usuárias de drogas.

Chega de sermos ignorados, de nos escondermos atrás de tabus. A hora é essa: compareça a Marcha da Maconha de sua cidade; nossa voz é a maior arma para derrubar as mentiras proibicionistas e para fazer prevalecer a verdade de que a maconha é melhor quando é regulamentada.

Confira a programação das Marchas da Maconha espalhadas pelo Brasil abaixo.

Diversas cidades brasileiras vão lutar pela legalização. E a sua? Organize uma das Marchas na sua cidade. Clique AQUI e conheça o manual do organizador. Caso a sua cidade não apareça abaixo deixe nos comentários, ou envie as informações para o email: [email protected] que ajudamos na divulgação.

11 DE ABRIL
RIO DE JANEIRO – ZONA OESTE
Pç. Tim Maia, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

20 DE ABRIL
SANTA CRUZ DO SUL
Pç. Getúlio Vargas, 16h20

9 DE MAIO
RIO DE JANEIRO
Jardim de Alah, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

16 DE MAIO
PORTO ALEGRE
Arcos da Redenção, 16h20

NITERÓI
Terminal de ônibus, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

17 DE MAIO
BELÉM
Praça da República, 16h20

RECIFE
Praça do Derby, Concentração às 14h com saída às 16h20

ARACAJU
Orla da Atalaia, 14h20

23 DE MAIO
SÃO PAULO
MASP, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

VITÓRIA
UFES, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

CONTAGEM
Pç. Paulo Pinheiro Chagas, 16h20

24 DE MAIO
SANTOS
Pç. da Independência – Gonzaga, 14h

FORTALEZA
Estátua de Iracema, 14h

SALVADOR
Campo Grande, 12h

PELOTAS
Praça Dom Antônio Záttera, 14h

ILHÉUS
Teatro Populas, 16h20

29 DE MAIO
JUIZ DE FORA
Pq. Halfeld, 14h20

FOZ DO IGUAÇU
Zoológico Municipal (TTU), 16h20

30 DE MAIO
SÃO CARLOS
16h20

BELO HORIZONTE
Pç. da Estação, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

TERESINA
Av. Raul Lopes, 16h20

SÃO GONÇALO
Praça Zé Garoto, 16h20

31 DE MAIO
CURITIBA
Boca Maldita / Rua das Flores, 14h

6 DE JUNHO
GUARULHOS
Em frente ao Fórum, 14h

26 DE JUNHO
CHAPECÓ
Pç. Cel. Ernesto Bertaso,

10 DE OUTUBRO
GRAVATAÍ
Parcão da 79, Concentração às 14h20 com saída às 16h20

  • Leandro Augusto

    falta em goiania

  • Alexandre Goulart Paiva

    E de Natal e Mossoro