No momento em que o Uruguai se prepara para legalizar a maconha no dia 10 de dezembro, produtores da droga no Líbano aproveitam o conflito na Síria para driblar a vigilância e esquentar o mercado da droga.

Confira no vídeo a história de um refugiado sírio que trabalha numa indústria tão ilegal quanto lucrativa. Samer fugiu da Síria por que passava fome, além de toda confusão, agora ele trabalha com haxixe ganhando o equivalente a 35 dólares por hora.

Maconha, haxixe e derivados da erva são produzidos na região, uma produção realizada em grandes partes por refugiados sírios desesperados por trabalho. Pressionados pelos EUA os libaneses lançaram uma grande campanha para erradicar a droga, sendo que este ano o exército libanês teve que afrouxar o cerco sobre a droga, para resguardar o país do conflito sírio o que acabou favorecendo uma boa colheita, inclusive defendida pela população local, por ser uma fonte de renda para os fazendeiros empobrecidos, confira:

 

Via AFP / MSN