O Congresso uruguaio acabou de aprovar, por 50 votos a 46, o projeto de lei que a casa recebeu da presidência ano passado propondo a regulamentação da venda de maconha no país.

Agora, o projeto vai ao Senado, onde o governo tem ampla maioria. Ou seja, a ideia provavelmente também vai ser aprovada lá. Aí só vai faltar a sanção presidencial. Como foi o próprio presidente José “Pepe” Mujica quem deu a ideia…

Esse dia vai entrar para a história das políticas de drogas. O Uruguai deu hoje o maior e mais difícil passo para se tornar o primeiro país do mundo a legalizar o comércio de maconha. Também seria o primeiro país a regulamentar completamente toda a cadeia produtiva da droga, do começo ao fim.

Na Holanda, existem os coffee shops, em que a venda ao consumidor é organizada por decreto. Mas a produção e venda em atacado são clandestinos. Colorado e Washington, nos Estados Unidos, provavelmente vão colocar seu comércio de maconha para funcionar antes do Uruguai, mas eles são apenas Estados.

A medida foi aprovada depois de um dia inteiro de debates acalorados e meses de polêmica. A maioria da população uruguaia (63%) ainda não concorda com a regulamentação da venda de maconha. E os deputados da oposição agora querem criar uma consulta popular sobre o projeto, tentando usar a opinião pública para impedir que ele entre em vigor.

Nos próximos anos, o mundo inteiro vai ficar de olho na experiência uruguaia. Se ela der certo, ou se pelo menos não trouxer nenhum grande prejuízo para a saúde pública, ela certamente será copiada. O 31 de agosto pode se tornar o primeiro dia do fim da proibição da maconha no mundo.

E se der errado? Bem, como o governo mesmo já explicou: se der errado eles ajustam as regras ou voltam atrás. Pelo menos eles poderão dizer que tentaram. Mas, pior do que está, é difícil que fique.

Leia aqui a matéria do El País, principal jornal Uruguaio, sobre a aprovacão do projeto.

Via Almanaque das Drogas