Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) diz ainda não ter opinião formada sobre a descriminalização da maconha, mas quer estudar exemplos do Uruguai e Portugal para tomar uma posição. Apesar disso, Mara é a favor do debate sobre o assunto, principalmente se tratando do uso medicinal da erva. As informações são do UOL.

Com um apoio de peso em favor de seu nome, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP), 46, cotada para vice na chapa presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG), diz que, caso seja convidada, vai pensar sobre a possibilidade. “Temos de conversar [com Aécio]. Nunca almejei ocupar um cargo tão alto. Nunca quis”, afirmou.

“Se rolar [o convite], eu vou pensar. Mas nunca fiz uma pesquisa aprofundada sobre o cargo. Se for mesmo convidada, não vou responder [a Aécio] sem antes pesquisar e estudar”, disse Gabrilli nesta terça-feira (15).

Ex-vereadora na capital paulista e ex-secretária municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo, Gabrilli é a primeira tetraplégica eleita deputada federal no país. Na Câmara Federal, atua na defesa de políticas públicas voltadas para pessoas com deficiência. Publicitária e psicóloga, a parlamentar sofreu um acidente automobilístico há 20 anos, que a deixou imobilizada do pescoço para baixo.

Sobre a descriminalização da maconha, a deputada diz não ter opinião consolidada: “já fui contra e já fui a favor. Hoje, estou pensando… Hoje, realmente não sei. Realmente, não sei o que falar”, afirma Gabrilli.

“A utilização do extrato de canabidiol (substância química da cannabis, planta que dá origem à maconha) para uso medicinal, de forma terapêutica, sou a favor. Principalmente, para uso de portadores de doenças raras e autismo. Nesses casos, o extrato de canabidiol suspende as convulsões”, diz.

“Já mudei de opinião sobre o assunto [descriminalização da maconha] e, agora, quero estudar melhor os exemplos do Uruguai e Portugal (países que liberaram, com restrições, o uso da maconha) para formar opinião sobre o assunto”, afirma a parlamentar.

A deputada também conversou com o UOL sobre outros assuntos como aborto e diminuição da maioridade penal. Após a publicação, Mara enviou uma carta ao portal para esclarecer alguns pontos que foram expostos de forma errada na matéria:

“Afirmei ser extremamente favorável à liberação do canabidiol para utilização medicinal. E que em relação à maconha em si, que existe uma tendência mundial à liberação, mas que eu mesma já mudei de ideia sobre o tema. Que precisamos promover essa discussão a nível nacional e observar o caso de nossos países vizinhos para ver quais as consequências que uma decisão importante como essa vai gerar.”

Agora cabe a você, Buddie, pensar se ela está fazendo isso pra angariar votos ou se é por causa da tendência mundial pró regulamentação. As eleições estão ai. Não sequele e Google IT!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

Não há comentários ainda, seja o primeiro a comentar!