Depois de regulamentar toda cadeia acerca da maconha, nossos vizinhos se preparam para capacitar médicos especializados na erva. As informações são da EFE, via Terra.

O Uruguai prepara seu primeiro curso de formação em “medicina canábica” para capacitar os profissionais da saúde sobre o uso medicinal da maconha, um dos aspectos da lei que regula essa substância no país.

“É a primeira vez que um curso de medicina canábica é feito no Uruguai. Terá módulos introdutórios e outros sobre patologias e a prescrição da maconha em tratamentos neurológicos, analgésicos e psiquiátricos, por exemplo”, explicou nesta sexta-feira à Agência Efe Julia Galzerano, que coordena a iniciativa do Sindicato de Médicos do Uruguai (SMU).

A proposta do SMU conta com o apoio do Centro Internacional para Serviços e Pesquisa em Educação Etno-botânica (ICEERS), que enviará especialistas para a capacitação, entre eles o farmacologista espanhol José Carlos Bouso. Em princípio, a formação receberá 125 médicos e estudantes de medicina em fim de curso e acontecerá entre agosto e outubro deste ano.

“Queremos ter alguma disciplina virtual para que o debate seja acessível à América Latina mais adiante, mas começaremos com esta primeira edição presencial”, disse Galzerano.

A Junta Nacional de Drogas (JND) será a responsável por promover à convocação nacional para o curso como parte das políticas públicas neste tema, segundo um comunicado da presidência uruguaia.

“Apesar de estar regulamentado o uso medicinal do cannabis, é importante ter um corpo profissional que esteja preparado para saber quais são seus usos e desenvolver pesquisas”, disse o secretário-geral da JND, Milton Romani.

A lei que trata da produção e o mercado de compra e venda de cannabis foi aprovada em dezembro de 2013, mas a regulamentação de seu uso para fins científicos e medicinais foi decretada em fevereiro deste ano, dias antes de terminar a gestão do então presidente, José Mujica, impulsor dessa legislação.