Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
O principal jornal francês, pede a legalização da maconha e ressalta que o país tem uma das legislações mais repressivas, mas é o país europeu em que o consumo da cannabis mais aumentou.

Nesta sexta-feira, 19 de dezembro de 2014, o importante jornal francês “Le Monde” publica um editorial, onde defende a legalização da cannabis na França e pede a realização de um debate público sobre o tema.

O jornal indica dois estudos recentemente publicados na França, que levantam a questão: um do comitê de avaliação e controle das políticas públicas, consagrado à luta contra o consumo de substâncias ilícitas e entregue em novembro ao parlamento francês, e o estudo do think-tank “Terra Nova”, indicando que a legalização da maconha poderia render 2,2 bilhões de euros aos cofres públicos (R$ 7,2 bilhões).

Leia também:  Uruguai convoca interessados em cultivar e distribuir maconha legal

O editorial começa por salientar os anátemas contra o debate do tema na sociedade francesa, referindo que quem alertar que a política repressiva não impediu a banalização do consumo da cannabis é imediatamente “acusado de grave irresponsabilidade, especialmente a respeito da juventude”.

O texto lembra que a França tem uma das legislações mais repressivas contra o tráfico e consumo de entorpecentes, que desde 1970 “o consumo de cannabis é um delito penal, passível de prisão de um ano e de 3.750 euros de multa”.

Destaca também que esta política repressiva é “ineficaz” e a França é um dos países europeus em que o consumo de cannabis mais aumentou. Um em cada três franceses já fez a experiência de consumir cannabis e 550.000 pessoas consomem-na diariamente. Aponta também que a política repressiva tem elevados custos “porque mobiliza uma parte significativa da atividade da polícia e da justiça” e custa 500 milhões de euros por ano. Além disso, realça o jornal, “a proibição favoreceu o desenvolvimento de um mercado clandestino de tipo mafioso”.

Leia também:  "Ontem foi domingo e me droguei muito": juiz Gerivaldo Neiva fala sobre repercussão de texto

Lembrando que alguns países, como Portugal, despenalizaram o consumo e a posse de pequenas quantidades de cannabis, o editorial defende que, “à semelhança da que existe para o tabaco”, “uma legalização controlada pelos poderes públicos poderia permitir controlar os preços”, “aplicar uma verdadeira política de prevenção”, acabar com o “essencial do mercado clandestino” e, além disso, “gerar receitas fiscais”.

Clique AQUI e leia o editorial na íntegra

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here