O chanceler Luis Almagro disse que as consultas se relacionam aos direitos que se obtém com a residência uruguaia para ter acesso à maconha. Segundo o governo, somente os residentes poderão comprar a maconha estatal.

Diferentes embaixadas do Uruguai no mundo estão recebendo perguntas sobre como obter residência nacional, e que direitos ela dá a quem a possui no contexto da nova lei que tornou o Uruguai o primeiro país no mundo que regula a produção e venda de maconha, disse o chanceler Luis Almagro.

“Os embaixadores têm recebido consultas. As consultas que vem sendo feitas são sobre como tirar residência no Uruguai, que direitos confere na recente mudança da lei, as condições para o turismo etc. Estas são as perguntas que temos recebido”, disse Almagro, depois de participar de um evento na sede da ALADI no Uruguai.

Baseado nisto, Almagro disse que as diversas embaixadas uruguaias no mundo, em breve, receberão informações precisas sobre as regras aprovadas, a fim de responder a estas preocupações.

Questionado sobre quais seriam as indicações para os representantes diplomáticos no exterior, Almagro disse apenas que “a ideia não é gerar turismo da maconha”.

uru
Mais de 5 mil pessoas tomaram as ruas do Uruguai na Última Marcha com Marihuana Ilegal. Foto: Mídia NINJA

Embora a lei não estipule bem, espera-se que o regulamento restrinja o acesso à maconha somente para os residentes.

O Secretário Geral da Junta Nacional de Drogas, Julio Calzada disse hoje ao portal da Presidência da República que “as pessoas que querem comprar maconha devem comprovar residência e estar no registro de banco de dados”. “Eventualmente até à aplicação da lei, os usuários ainda recorrem ao narcotráfico, como ocorreu até hoje. Nós faremos todos os esforços para evitar que o mercado negro possa continuar fornecendo”, disse ele.

Tradução SmokeBud Via El País