Estimativas mostram que o setor já movimenta US$ 1,5 bilhão por ano e deve chegar a US$ 10,2 bilhões em cinco anos e atraí cada vez mais empreendedores.

É um mercado crescente, não se pode negar. Projeções da MMJ Business Daily, uma publicação que cobre a “indústria da maconha”, mostram que o faturamento anual do mercado de maconha legal pode estar entre US$ 4,5 bilhões e US$ 6 bilhões somente nos Estados Unidos até 2018. Muito mais do que os US$ 1,5 bilhão de 2013.

Outra estimativa, esta da ArcView Group, uma rede de investidores focada em negócios relacionados à cannabis sativa, mostra que o setor deve crescer 64% em 2014, movimentando US$ 2,3 bilhões, e chegar a surpreendentes US$ 10,2 bilhões em cinco anos.

São números distintos, mas ambos apontam para a mesma direção. E, apostando nisso estão empreendedores que montaram seus negócios para vender maconha legalmente. A GreenLink Collective, de Seattle, é um exemplo. Seus fundadores, o casal Jake e Lydia George, vendem produtos feitos com a erva para fins medicinais.

Outro exemplo é a Boulder Kind Care, do Colorado, que também oferece maconha para questões de saúde. O mercado no estado é tão promissor que o fundador da empresa, Jay Czarkowski, criou também uma consultoria que ajuda profissionais do setor a abrir seus próprios negócios.

Atualmente, 20 estados americanos permitem a maconha para uso medicinal. Alguns estão indo mais além. Colorado e Washington, por exemplo, já aprovaram o uso recreativo da erva.

Via Pequena Empresas & Grandes Negócios