Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Parlamento Uruguaio deu luz verde na semana passada para o cultivo, venda e consumo de maconha. Um passo que é bem recebido na Alemanha por especialistas que argumentam, que a política proibicionista não funcionou.

Uruguai é o primeiro país no mundo que se atreve a legalizar o mercado da maconha. O plano contempla permitir aos consumidores cultivarem até seis plantas ou comprar até 40 gramas por mês, para uso recreativo e medicinal em farmácias licenciadas.

” É urgente empreender novas estratégias na política de drogas. Se você ver o estrago que a Guerra contra às drogas causa no México, vemos o quão óbvio que este mesmo caminho deva ser evitado.”, diz Heino Stöver, professor do Instituo de Pesquisa em Vícios, da universidade de FrankFurt, em uma entrevista para Deutsche Welle.

Leia também:  Farmacêutica britânica afirma que remédio de maconha pode tratar epilepsia

” É muito louvável, saudamos o Uruguai por esta inciativa e espero que isso leve a uma reforma urgente na política de drogas”.

“Saludamos la decisión de Uruguay“

O presidente da entidade, Akzent V. que trabalha no campo da política de redução de danos para viciados, em Berlim afirma que a proibição não tem funcionado nos cem anos em que esteve em vigor. ” Acreditamos que de cara, a ilegalidade e criminalização do consumidores tem causado imensos prejuízos, como mostra a política de guerra as drogas no México”, ressalta.

Especialistas advertem que justamente no subcontinente, onde mais se sofre com essa política, é o que vem com a “pedra angular” parando de criminalizar o consumo. “Deve ser uma política de drogas que leve em consideração a saúde do consumidor em primeiro lugar, e em especial os jovens”, ressaltou.

Leia também:  Regulamentação Responsável

Stöver ainda põem como exemplo, os “Cannabis Club” já existentes na Espanha, Bélgica e Portugal. ” Temos Coffee Shops na Holanda que vende maconha há trinta anos e nas últimas três décadas, não vimos mais adolescentes fumando maconha comparado a outros países europeus.”

No Uruguai a maior diferença, de outras partes da América Latina, é que o mercado da maconha responde por 80% das drogas consumidas, um negócio estimado em 22,5 milhões de Euros. A Lei atual de 1974 permite o uso de maconha e outras drogas, porém não a produção e a venda, que são proibidas.

Tradução SmokeBuddies
Via Deutsche Welle

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here