Pesquisas mostram que cidadãos não concordam com prisão de usuário da erva

Uma série de pesquisas divulgadas nos últimos meses mostra que a esmagadora maioria dos americanos quer o fim da política de repressão aos usuários de maconha patrocinada pelo governo dos Estados Unidos há mais de 70 anos, desde que a droga se tornou proibida no país, relata o colunista da BandNews FM Luiz Megale.

“A opinião geral mudou radicalmente nas últimas décadas. Nos anos 1980, a população americana tinha uma visão parecida com a que boa parte da classe média no Brasil tem hoje: a de que o consumidor, por ser responsável direto pelo dinheiro que chega aos traficantes, tem de ser considerado um criminoso”, comenta Megale.

Depois de bilhões de dólares terem sido gastos em vão na chamada “guerra contra as drogas”, existe quase um consenso de que o caminho de repressão ao usuário não funciona. “Uma pesquisa recente do instituto Princeton em todo o país mostra que 9 em cada 10 americanos acham que quem é flagrado com pequenas quantidades de maconha não deve ser preso”, ilustra o colunista.

Outro estudo da FoxNews, uma rede de televisão conservadora, mostra que 85% acham que a maconha deveria ser liberada para fins medicinais.

Em mais uma pesquisa, para 6 em cada 10 entrevistados, o governo federal não deveria reprimir o uso e a venda da droga em estados onde o consumo foi liberado. “O que aconteceu recentemente na Califórnia, onde o uso medicinal da maconha foi aprovado, mas várias farmácias e lojas que começaram a vender a erva foram fechadas pelo governo federal”, lembra Megale.

No fim de semana, a rede CNN levou ao ar um documentário sobre a maconha e publicou um editorial sobre o assunto. Diz que não há mais sentido conceder a criminosos a exclusividade da produção e distribuição de uma droga, que, embora não seja inofensiva, produz resultados mais desastrosos quando incluída no esquema de repressão policial que criminaliza também os usuários. “Não é uma questão de se, mas de quando a legalização vai ocorrer em todo o país”, afirma o texto.

Luiz Megale, via BandNews Fm

  • Começaram a proibição pra direcionar todo consumo pra indústria do petróleo e outros bens mais rentáveis pra eles, agora que são donos do mercado, vão abrir as pernas.
    Uma pena o mundo todo ter que se submeter a essas vontades dos eua