Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Flexibilizar a legislação sobre uso de drogas leves ajuda no combate ao tráfico ou pode aumentar o consumo de entorpecentes pesados e a violência?

Fórum, que começa hoje, vai reunir especialistas do Brasil e do exterior para discutir reforma legal

O tema e toda a polêmica que o envolve serão debatidos em um evento internacional que começa hoje e vai até sábado no Rio. Organizado pela Comissão Brasileira sobre Drogas e Democracia (CBDD), pelo Viva Rio e pela Open Society Foundations, com apoio da Secretaria municipal de Desenvolvimento Social do Rio, o Fórum Internacional As Ruas e As Drogas, Competências e Inovações terá debates com especialistas do Brasil e do exterior. A abertura será no Memorial Getulio Vargas, às 9h, com o vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Social, Adilson Pires, e com o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann.

Diretor do Viva Rio, Rubem Cesar Fernandes disse que a ideia é formar uma rede de experiências sobre políticas para o setor:

“No Canadá, por exemplo, Vancouver, que teve problemas com heroína, cocaína e crack, desenvolveu uma política de redução de danos, oferecendo, além de tratamento a usuários, acompanhamento do consumo com seringas, para diminuir a transmissão de doenças. Também haverá pessoas de Nova York e Bogotá, que vão trazer experiências de ações com população de rua”.

Uma das especialistas a participar do evento, a diretora do Global Drug Policy da Open Society Foundations, Kasia Malinowska, ressaltou que o importante não é replicar experiências de outros países, mas ver os efeitos do que foi feito neles e o que aprenderam com isso:

“A Holanda, por exemplo, quis separar os mercados de cada droga, para que os usuários de maconha não se misturassem a traficantes; hoje, Alemanha e Bélgica, países vizinhos, têm mais usuários de maconha que a Holanda”, disse Kasia.
A especialista também destacou a necessidade de punições proporcionais a cada situação:

“Portugal atuou na proporcionalidade da punição: se alguém é detido com dez gramas de maconha, obviamente precisa de punição diferente de alguém com cem quilos de cocaína. Hoje, em muitos países, como o Brasil, são presos mais aqueles com cem gramas, pois é o mais fácil de prender. Venho da Polônia, uma das leis mais punitivas da Europa. Quando Portugal descriminalizava a posse para uso pessoal, a Polônia endurecia sua lei. Hoje, 12 anos depois, somos o segundo maior consumidor de maconha na Europa, enquanto Portugal está dez posições atrás de nós. E foram destruídas as vidas de vários jovens poloneses, que não conseguem mais emprego porque agora têm antecedentes criminais. O que fica claro para nós é que punir usuários não funciona”.

Serviço:

Abertura
Data: 5 de dezembro (quinta-feira)
Horário: 9h às 13h
Local: Memorial Getúlio Vargas (Praça Luís de Camões, s/nº – Glória)

Demais painéis
Data: 6 e 7 de dezembro (sexta e sábado)
Horário: 9h às 18h (sexta) e 9h às 13h (sábado)
Local: Sede do Viva Rio (Rua do Russel, 76, Glória)

Mais info acesse Viva Rio

Via O Globo

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

DESCONSTRUA

Please enter your comment!
Please enter your name here