A Itália vai produzir maconha medicinal em um laboratório militar. O objetivo é distribuir a substância a custos mais baixos do que o atualmente cobrado no sistema de saúde nacional. O uso medicinal é permitido em território italiano desde 2007, mas os preços fizeram com que poucos pacientes, procurassem tratamentos a base da substância. Remédios devem estar à disposição da população em 2015. As informações são da ANSA.

As ministras italianas da Saúde, Beatrice Lorenzin, e da Defesa, Roberta Pinotti, deram seu aval para a produção de maconha para fins terapêuticos no Instituto Químico, Farmacêutico e Militar de Florença. O cultivo da erva ficará a cargo do Exército do país e a medida deve ser oficializada até o fim de setembro.

O local que terá as plantações nasceu com o objetivo de fabricar medicamentos para as Forças Armadas, mas hoje também possui atividades de escopo civil.

“A utilização desses fármacos é permitida no nosso país desde 2007. No entanto, ao longo de 2013, apenas algumas dezenas de pacientes puderam recorrer a eles”, disse Luigi Manconi, presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado.

Para usar medicamentos à base de maconha, as pessoas eram obrigadas a importá-los, em um processo bastante caro e demorado. A expectativa é que esses remédios estejam disponíveis nas farmácias italianas no ano que vem.