Apreciador de literatura e fã de Pepe Mujica; volante do Palmeiras defende a legalização do aborto e da maconha. As informações são da ESPN

Sebastián Eguren é fã de Pepe Mujica e defende a legalização do aborto e da maconha (Foto: Palmeiras)
Sebastián Eguren é fã de Pepe Mujica e defende a legalização do aborto e da maconha

Sebastián Eguren fala sobre música, literatura e política com a mesma desenvoltura que comenta esquemas táticos e a cobertura dos laterais.

O raciocínio do volante para defender a legalização da maconha é semelhante ao usado por Mujica. Na medida em que a droga jamais foi erradicada e é costumeiramente consumida à margem da lei, é mais vantajoso (ou menos danoso) legalizá-la e criar uma legislação específica para o tema – o presidente uruguaio propõe que a venda seja realizada pelo Estado.

“Não concordo com o consumo de maconha, tabaco e álcool, mas, quando as coisas são fiscalizadas e consumidas legalmente, é favorável a todos. O fato de que o presidente apoie a causa não significa que esteja fazendo apologia. As pessoas consomem maconha e, legalizando-a, o Estado poderá ser ressarcido. O consumo ficaria mais restrito e não haveria um negócio sujo por baixo dos panos. Não me parece ruim”, disse.

Já a legalização do aborto, argumentou Eguren, poderia poupar a vida de várias mulheres. “O aborto sempre fez parte do dia a dia, e muitas garotas morrem. Legalizando, a mulher pode escolher, ela tem que ser parte desse assunto. Esse tipo de coisa deve ser feito dentro da legalidade e cuidando da saúde de quem quer fazer”, declarou.José Mujica, no poder desde 2010, encampa as duas medidas. Em meados dos anos 1960, como integrante dos Tupamaros – movimento de guerrilha uruguaio -, ele foi baleado e passou aproximadamente 14 anos preso. Libertado com a volta da democracia em 1985, retomou a carreira e política e, mesmo eleito presidente, manteve hábitos simples, como dirigir um fusca 1987 e morar em um sítio nos arredores de Montevidéu.