Família abandona cidade natal e parte em busca da cura pela maconha medicinal, utilizada por Charlotte Figi, no Colorado

Eu tenho uma confissão a fazer. Estou viciada em praia. Eu posso sentir isso chamando meu nome, especialmente com a aproximação do início da noite.

“Estou correndo para o supermercado”, devo dizer ao meu marido e, secretamente, ir à praia em Porto Bradstreet antes de ir. Gosto de ver as ondas. Eu adoro caminhar na praia e pegar troncos, rochas e vidro do mar. Eu respiro profundamente e relaxo por um minuto ou dois, antes de continuar com os meus deveres, minhas baterias mentais recarregadas.

Na outra noite, eu parei na praia em uma missão. Com a minha sacola na mão, eu juntei muitos troncos bonitos e uma pilha de pedrinhas de todas as cores.

Quando eu estava saindo, três senhoras perguntaram o que eu pretendia fazer com aquelas coisas. Eu sorri e parei para explicar-lhes o quanto eu amo a praia e que eu estava reunindo o suficiente para levar comigo para a nossa nova casa em Colorado Springs para me lembrar da beleza e paz do lago Erie. Elas perguntaram por que eu estava se mudando para longe do lugar que amo.

“Eu vou lá para salvar a vida da minha filha”, eu respondi.

Minha filha, Jordan, tem síndrome de Dravet, uma forma rara e catastrófica de epilepsia infantil. Nós estamos indo para Colorado usar cannabis medicinal no tratamento das convulsões de Jordan.

Eu devo prefaciar o que vou dizer a você com o fato de eu que sou uma das pessoas mais certinhas que você nunca vai encontrar. Eu nunca tentei, nem gostava de nada sobre o tabagismo ou drogas recreativas. Eu ensinei as minhas meninas desde o primeiro dia que o fumo e as drogas eram más e poderiam causar mortes.

Tratamento com cannabis medicinal não equivale a fumar maconha! A cannabis medicinal é derivada de uma planta que é rica em canabidiol, CBD, e pobre em THC, tetrahidrocanabinol. O THC é apenas um dos cerca de 400 compostos químicos encontrados na planta. THC é o ingrediente que altera a mente, mas tem benefícios poderosos também, tais como prevenção de náuseas e vômitos em pacientes com câncer, aumento do apetite em pacientes que têm dificuldade em comer, reduzindo a dor e muito mais. O THC também possui propriedades antioxidantes e anti-espasmódicas.

O canabidiol na planta cannabis é um medicamento incrível. O CBD é um analgésico, anti-inflamatório, anti-insônia, antidepressivo, anti-epilético, anti-bactericida, anti-diabético, anti-psoriática, estimulante de crescimento do osso, inibidor de células de tumor, e a lista continua e continua. Você pode pensar em qualquer coisa em forma de prescrição que pode fazer tudo isso? Toda esta bondade vem de uma planta orgânica na forma de sumo bruto, óleo, ou o material vegetal seco que não foi aquecido.

Cannabis medicinal agora é legal em 20 dos 50 estados porque os pacientes e médicos estão vendo os benefícios de cura para si mesmos. A cannabis é um “game changer” [“virada de jogo”] para muitas doenças e está dando a adultos e crianças uma chance de viver sem ser excessivamente medicado.

Dr. Sanjay Gupta foi ao ar recentemente em um documentário de uma hora intitulado “Weed” na CNN, onde apresentou muitas histórias médicas de sucesso da maconha, pesquisas e seu apoio à cannabis medicinal. Ele pediu desculpas publicamente por ter sido mal informado e, assim, induzir o público a acreditar que a cannabis medicinal era prejudicial, e agora ele está totalmente por trás da legalização da cannabis medicinal.

A criança neste documentário é uma menina de seis anos chamada Charlotte Figi. Charlotte tem síndrome de Dravet, assim como minha filha, Jordan. Charlotte estava perdendo a luta para a Dravet, apesar de todos os medicamentos anti-epiléticos ela não respondia, e os médicos ofereceram aos seus pais uma situação sem esperança e sem rumo para o seu futuro. Foi então que sua mãe, Paige, encontrou informações sobre o tratamento com cannabis medicinal e foi levada a uma organização sem fins lucrativos chamada “Realm of Caring” em Colorado Springs.

Charlotte passou sete dias livres de crises após a primeira dose de cannabis medicinal! Simplesmente incrível, considerando que ela sofria 300 ataques por semana. Charlotte tem sua vida de volta, ela pode comer, ela pode voltar a andar e falar, andar de bicicleta e é capaz de aprender tudo de novo por causa da cannabis medicinal. Sua história é a de um enorme salto de fé e de uma mãe que deu seu coração para salvar a vida de sua preciosa filha. Agora é a minha vez!

Temos lutado com a síndrome de Dravet há 18 anos, e para ser sincera, Jordan estava em uma espiral descendente como no mês passado, eu não tinha certeza que iria levá-la de volta, mas nós fizemos, e Deus abriu as portas para a Jordan e eu fui para Colorado Springs e trabalhei com a Realm of Caring e famílias como os Figis usando cannabis medicinal para parar os ataques e dar a Jordan sua vida de volta. É uma grande decisão, uma decisão muito pessoal, e quando algo é certo, você sabe disso.

A cada dia eu estou em contato com famílias pelos Estados Unidos, que colocam seu filho muito doente em primeiro lugar, deixando a família e amigos para trás, deixando postos de trabalho para ir por todo o país para, finalmente, obter o tratamento médico que seu filho merece. É uma montanha-russa emocional até a decisão.

A cannabis medicinal não é legal em Ohio, então Jordan e eu vamos viver no Colorado, e não seremos capazes de voltar para casa até que as leis mudem. A cannabis também é ilegal para o transporte através das fronteiras estaduais neste momento. Chegou o momento de as leis mudarem, e o tempo de Ohio é agora. Famílias estão sendo divididas, empregos estão sendo deixados e Ohio está perdendo a receita de cada família como a nossa que tem que se mover porque o óleo de cannabis é ilegal para ser usado clinicamente em nosso estado. Meu coração se parte pelo que essas leis estão fazendo com a minha família, mas sei que agora é a hora de ir e salvar a vida de Jordan.

Você pode ajudar a salvar Jordan e nos levar de volta para o único lugar que ela conhece a sua vida inteira, Bay Village, apoiando a causa para obter a legalização da cannabis medicinal nas eleições de Ohio, em 2014. Para estar nas cédulas das eleições de novembro de 2014, 385 mil assinaturas de eleitores registrados deve ser recolhidas por município.

Acesse ohiopatientsnetwork.org e clique em “link para petição oficial com a página de instrução” e comece a recolher assinaturas e informar as pessoas sobre porque isso é a coisa certa a fazer. E em novembro de 2014, não se esqueça de votar SIM para apoiar a legalização da cannabis medicinal em Ohio e de incentivar sua família e amigos a fazerem o mesmo. Além disso, visite realmofcaringfoundation.org para saber mais sobre a cura que está acontecendo com a cannabis medicinal para muitas doenças diferentes.

Eu vou atualizá-los periodicamente de Colorado, e se eu puder ser de alguma ajuda ou responder a quaisquer perguntas, se sintam livres para me enviar e-mails no [email protected] Acima de tudo, por favor, se lembrem de nós, especialmente de Jordan, em suas orações como nós também vamos! Muito obrigado. Deus os abençoe!

Tradução SmokeBud
Via, West Lake Bay Village