Jogo virtual mostra região da Lapa dominada por traficantes em 2041
Criador diz que teve a ideia depois de passar por um tiroteio

Confrontos entre policiais e traficantes não são novidade para quem mora no Rio. Entretanto, pelo jogo online “Favela Wars”, lançado em abril deste ano, é possível entrar na pele de um desses personagens e defender ou invadir uma comunidade dominada por bandidos. Como informou a Coluna Gente Boa (jornal O Globo), a guerra virtual entre mocinhos e vilões, que já era feita na Rocinha e no Complexo do Alemão, duas das fases mais populares, agora chegou à Lapa. No novo cenário, o usuário se depara com uma macabra versão do bairro boêmio, tomado pela criminalidade no ano de 2041.

Segundo o criador, Dan Eisenberg, a ideia para o game surgiu há cerca de cinco anos, depois de sofrer na própria pele o medo e a violência que domina áreas inteiras do Rio.

— Depois de passar por um tiroteio na Linha Vermelha, tive a ideia para o jogo, que foi lançado, em versão beta, em abril — lembra Dan.

Apesar do cenário sombrio apresentado para o futuro da cidade, o criador do jogo tem esperança de que a situação da cidade não chegue a esse ponto. Para isso, na opinião dele, é preciso mudar a forma de lidar com as drogas.

— O jogo inteiro se passa em 2041, mas espero que o Rio não fique assim. Afinal, eu também moro na cidade. É tudo uma brincadeira, uma realidade alternativa. Mas acho que enquanto não abordarmos a questão das drogas de frente, as coisas não vão melhorar e essa violência vai se manter. Temos que encarar que a política de combate às drogas não resolve a questão da violência. É preciso levar luz a esse problema e tratar essa questão como caso de saúde — avaliou, acrescentando que o o jogo não mostra drogas, apenas traficantes.

favela wars
Político enforcado numa macabra versão do bairro boêmio, a Lapa dominada pela criminalidade no ano de 2041.

Quando é acusado de estimular a violência com um jogo sobre guerras nas favelas, Dan explica que a própria guerra, que existe há anos, é polêmica, mas discorda que jogos possam estimular um comportamento violento:

— Acho essa polêmica em torno do videogame um pouco demais. Outras artes também falam sobre o mesmo tema, como o filme “Cidade de Deus”, que foi aclamado pela crítica. Acho que existe um preconceito contra o videogame.

O criador do “Favela Wars” não vê problema em oferecer o papel de vilão para os jogadores. Segundo ele, alguns dos jogos de maior sucesso, mesmo antes de existirem videogames, já faziam isso.

— Até mesmo brincadeiras antigas, como o “polícia e ladrão” — lembra Dan

Por Bruno Amorim, Via O Globo

Confira o vídeo sobre o game, Favela Wars.

Lembrando que o vídeo tem legendas pras partes em inglês! É só ativar os closed captions em português no menu do player, na parte de baixo do vídeo. O game tem classificação etária acima dos 16.

E os buddies, já curtiram uma “Lapinha” no Favela Wars? Deixe sua opinião.