Bancos e outras Instituições Financeiras que fazem negócios com Dispensários de Maconha na conformidade das Leis estaduais tem poucas chances de serem processados por lavagem de dinheiro e outros Crimes Federais, que poderiam ser atribuídos segundo as atuais Leis Federais de drogas, afirmou um oficial sênior do Departamento de Justiça.

O funcionário não descartará a acusação, em qualquer caso, mas a orientação agora é uma reversão da política administrativa, que havia advertido os bancos para não trabalharem com empresas de maconha.

O funcionário do Departamento de Justiça disse que, “O Departamento reconheceu que forçando dispensários a trabalharem com dinheiro, podem colocá-los em maior risco de roubo e violência.”

Um memorando de três páginas que acompanhou a notas do anúncio do Departamento de Justiça, afirma que a indústria da Maconha Legal, quando bem regulada, pode trazer benefícios para a segurança pública e saúde.

Depois de listar um conjunto de prioridades, que inclui manter a Maconha longe de crianças e prevenir as gangues de lucrar com o tráfico de drogas, o memorando do  vice Procurador Geral James Cole, sugere que a regulação Estatal da Maconha pode atingir essas prioridades, por exemplo a implementação de medidas eficazes para impedir o desvio de Maconha fora do sistema regulado e para outros estados, proibindo o acesso à maconha para menores de idade, e substituindo o comércio ilícito de Maconha que financia empreendimentos criminosos com um mercado bem regulado, em que as receitas financeiras são acompanhadas e contabilizadas”.

A noticia pode ser melhor para os Bancos do que para os Dispensários de maconha. Processos locais de tais lojas são dirigidos por Procuradores dos EUA, tais como John Walsh do Colorado, que de acordo com o The Huffington Post “Tem mostrado pouco respeito por orientações sobre a Maconha no passado.” Mas os processos bancários seriam executados fora do principal Departamento de Justiça, que é o autor do memorando, e o mais provável de cumpri-lo .

As questões bancárias precisavam ser abordadas, disse o representante Ed Perlmutter (Corte do Distrito do Colorado) “Precisamos tratar a segurança pública, crime e perda de receita fiscal associada quando essas empresas legais e regulamentadas estão operando somente com dinheiro “.

“Nós precisamos fornecer às instituições financeiras a certeza que eles podem tomar suas próprias decisões de negócio relacionadas com as operações financeiras legais, sem medo de sanções regulatórias “, disse Perlmutter . “Atualmente, sob as leis federais, muitas empresas regulamentadas que trabalham com Maconha, mesmo operando legalmente de acordo com a lei estadual, estão impedidas da manutenção de contas bancárias e acesso a produtos financeiros como qualquer outro negócio, como aceitar cartões de crédito, depósitos ou de utilizar cheques para folha de pagamento ou pagar impostos. Eles são obrigados a operar somente com dinheiro, um prato cheio para crimes como roubo e evasão fiscal” disse Perlmutter .

” Ainda não está claro se a orientação do Departamento de Justiça será seguido, na semana passada, a Drug Enforcement Administration, que é uma agência subordinada dentro do Departamento, mas que age como se fosse independente, aconselhou as empresas de Segurança com Carro Blindado que não trabalhem mais, com empresas de maconha.”

Tradução: SmokeBud
Fonte: Hemp.org