Juízes vão avaliar aparência, odor e cultivo da planta, mas não vão consumir as amostras. Uso recreativo da maconha foi liberado em novembro do ano passado na capital Washington. As informações O Globo

A DC State Fair, que acontece no dia 12 de setembro, terá um novo concurso este ano. Além das disputas tradicionais, como as de tortas, poesias e fotografia, a feira vai eleger a melhor maconha da capital americana. A competição foi apelidada como “Best Bud”, e abre espaço para 50 produtores enfrentarem a avaliação dos juízes.

“A inscrição deve ser de uma planta cannabis que você tenha cultivado desde a semente”, alerta o regulamento do concurso.

O uso recreativo da maconha foi aprovado em Washington em novembro do ano passado, após consulta popular. Adultos maiores de 21 anos pode usar até 50 gramas da droga e cultivar em casa até seis plantas. Para participar da disputa, os cultivadores devem enviar uma fotografia e uma pequena amostra do produto, entre 1 e 2 gramas.

Segundo as regras, quatro critérios serão avaliados. O primeiro é a aparência, se a planta é bem podada e possui tricomas (pequenos apêndices que se assemelham a pelos). O odor também será avaliado, se a planta cheira bem, ou se tem alguma fragrância doce ou apimentada. Os juízes também vão tocar na planta, para saber se ela é melada e se a haste dobra ou quebra.

O último critério é a história da planta. Os avaliadores vão querer saber se a cannabis foi cultivada de forma orgânica, se usa luz natural ou artificial, se o cultivo é hidropônico ou no solo, entre outras informações. E o regulamento é claro: o potencial alucinógeno está fora da análise.

“Os juízes não vão consumir a amostra enviada”, diz a regra.

Os vencedores — primeiro, segundo e terceiro colocados — receberão fitas e a oportunidade de exibir os itens nos eventos promovidos pela DC State Fair ao longo do ano.