A global ilustrou o quadro que mostra as gafes da televisão brasileira de um modo um tanto diferente – e canábico. Entenda a declaração feita pela “Fernandona”, que já havia se mostrado favorável ao debate sobre a política de drogas vigente no Brasil e no mundo. Dê um dois e o play.

O programa mais marolado da TV aberta, que vai ao ar todas as noites de segunda, o CQC da TV Bandeirantes, sempre aborda entre um quadro e outro a erva. Claro, desta vez não foi diferente e alguém rodou nas piadinhas da bancada liderada pelos apresentadores Marcelo Tas, Marco Luque e Dani Calabresa.

A homenageada da fez foi para a clássica global e defensora de uma nova abordagem mundial sobre as drogas, Fernanda Montenegro, que no filme da diretora Carol Jabor,Boa Sorte, interpreta Célia, uma avó setentona e maconheira.

Para quem não lembra, Fernanda Montenegro foi uma das convidadas do programa “Na Moral”, da Globo, que discutiu a descriminalização das drogas em 2013. Na ocasião, a atriz disse sonhar que “o mundo todo entrasse num consenso de liberação da droga” e que “quanto mais viciado, mais pedido de socorro ele pede. Enfiá-lo numa cela é matá-lo”.

“Baseado no que estudei, vivi e observei estes anos todos, estou certo de que países que liberaram a maconha comprovam em estatísticas que não soma para nada construtivo, pelo contrário. Funciona sim como porta de entrada para outras drogas e causa danos graves à saúde e à segurança, elevando gastos de $$ público”, complementa Fernanda, que foi criticada pelo ator Ricardo Macchi.

No quadro Top Five, Marcelo Taz explana na quinta posição a participação de Fernanda Montenegro no programa da Estúdio I da Globo News em que a atriz diz “Enrolo um. Enrolo bem”.

Aperte e assista o Top Five

No programa Estúdio I, da Globo News (aos 5 minutos), ainda entre risos da apresentadora e dos convidados, Fernanda explica um pouco sobre a relação de Célia com a neta, personagem interpretada por Débora Secco, a quem leva a arte e as tintas, além de uma boa quantidade de maconha, quando a vovó está internada em um hospital.

Isso que é Avó!

Acesse e assista na íntegra a entrevista do Estúdio I.