De maneira única e ao vivo uma repórter norte-americana pede demissão para lutar pela legalização. As informações são da UOL

Uma repórter norte-americana se demitiu ao vivo de um telejornal no último domingo (21) e anunciou que iria se dedicar à legalização da maconha no estado do Alasca.

Após a exibição de uma reportagem sobre os esforços para descriminalizar o consumo de maconha no estado, a repórter Charlo Greene pediu sua demissão e ainda revelou que ela era a dona do Alaska Cannabis Club, organização que ajuda pacientes que precisam da droga para tratamento médico.

“Foda-se, eu me demito”, disse ela, depois de revelar que agora iria devotar “todas as energias para lutar por liberdade e justiça, que começa com a legalização da maconha aqui no Alasca”. A âncora do noticiário, Alexis Fernandez, ficou chocada e pediu desculpas no ar.

https://www.youtube.com/watch?v=zWHA3DZQdgA

Nesta segunda, um pedido de desculpas foi postado no site da emissora KTVA: “Nós pedimos desculpas sinceras pela linguagem inapropriada usada por uma repórter da KTVA durante sua entrada ao vivo na última noite. A funcionária foi demitida”.

Aperte e Leia : Após demissão, para lutar pela legalização da erva, repórter publica vídeo explicando sua decisão