Uma empresa francesa lançou um teste para medir o teor de maconha no organismo humano. Batizado de “Cannabis Veredict”, o sistema dá o resultado em apenas cinco minutos e pode ser comprado em qualquer tabacaria do país. O dispositivo, que garante 99% de precisão, é destinado principalmente aos chamados “fumantes esporádicos” da erva.

Ao contrário dos testes utilizados atualmente pela polícia francesa, que analisam a saliva do usuário, o “Cannabis Veredict” se baseia em uma amostra de urina para medir o teor de THC (tetrahidrocanabinol) no organismo. A substância produzida pela maconha é a principal responsável pelos efeitos euforizantes da erva.

O novo sistema, comercializado pela empresa Elicole, será vendido nas tabacarias francesas. Uma primeira fase de testes está sendo realizada nesse momento e um lote de 100 mil doses já foi distribuído em 3 mil pontos de venda do país.

Acidentes de trânsito

O objetivo do “Cannabis Veredict” não é saber se um motorista está em condições de dirigir após consumir a droga, e sim se, em caso de controle, ele terá um resultado positivo. Dessa forma, “o teste não serve para os fumantes regulares, pois as pessoas que consomem maconha diariamente sabem que terão um resultado positivo permanente. Ele é mais interessante para os consumidores esporádicos de maconha”, explica Marc Elie, presidente da Elicole. “Esses usuários podem fumar um baseado no fim de semana e, mesmo se não estão mais sob o efeito da droga na segunda-feira, ainda terão resíduos no organismo. E aqui na França, em caso de acidente no trabalho ou no trânsito, um simples resíduo de droga no organismo pode justificar a condenação de um motorista ou de um trabalhador”.

A lei francesa prevê multa de 4500 € (quase R$ 15.000), perda de seis pontos na carteira e até dois anos de prisão para quem for supreendido dirigindo sob o efeito de drogas. Atualmente, 13,4% dos acidentes mortais nas estradas franceses foram provocados por pessoas que apresentaram resultado positivo no teste da maconha.

Outro público visado pelo empresário são os pais de adolescentes, que poderão testar o teor de maconha em seus próprios filhos. Para ele, esse pode ser um ótimo método de prevenção dentro de casa.

Via RFI