420 folhas cultivadas na praia lembraram os pacientes que estão aguardando a liberação da maconha para uso medicinal e as vítimas da lei de drogas.

Quem foi dar a sua tradicional corrida ou pedalada pela orla de Copacabana, na manhã do dia 20 de abril, encontrou 420 folhas de maconha cultivadas na areia. A extensão da praia em frente ao Copacabana Palace serviu de palco, pela segunda vez, para o ato com maior duração na luta antiproibicionista do Brasil sendo finalizado com o Fumato.

A cobertura do ato foi realizada pela revista semSemente, confira!

4e20: Fumato Medicinal em Copacabana
No domingo passado, ativistas pela legalização da maconha sob a alcunha de “Movimento Revolucionário 20 de Abril” realizaram na praia de Copacabana o “Fumato Medicinal”. A ação, que reuniu cerca de cinquenta usuários queimando todo tipo de mato aconteceu as 16h20, após uma vigília de 12h, quando um pequeno grupo de seis ativistas começaram a “plantar” 420 réplicas de folhas de maconha de papelão em frente ao Copacabana Palace.

É a segunda vez que as folhas são plantadas no local, a primeira vez foi em 2012 numa ação realizada exclusivamente pela Rádio Legalize, neste ano somaram forças membros de outros coletivos como a semSemente, Growroom, SmokeBud, Cultura Verde, Planta na Mente e Horta Urbana, foram outros ativistas independentes. Diferente de 2012 aonde cada folha simbolizava vítimas do proibicionismo desta vez a intenção do ato foi pressionar a Anvisa, para que ela retire a maconha da lista de substâncias proibidas, já que a demanda pelo uso medicinal é urgente. Então desta vez as folhas simbolizam os muitos pacientes que estão aguardando a liberação da maconha para poder se medicar e as vítimas desta lei proibitiva e injusta.

Clipping via CBN: Ato em Copacabana pede a liberação de medicamentos que contenham o canabidiol

Clippng CBN FUMATO