Estamos vivendo tempos muito singulares nesta nova geração. Apesar de boa parte da informação estar a um simples toque no celular, as vivências e experiências parecem estar cada vez mais separadas pela mesma ferramenta que nos promove toda essa interação virtual.

Estamos no meio da lama que destruiu por completo vidas, vilarejos e todo o ecossistema do Rio Doce. No meio do sangue espalhado pelos atentados terroristas que acontecem todos os dias, não só na França, Quênia, Palestina, Síria, Ucrânia, Afeganistão e muitos outros, mas principalmente aqui perto de nós, nas favelas do nosso país, onde o próprio estado promove terrorismo contra seu povo.

Esses dias vi uma imagem que retrata bem esse assunto. Um mapa do mundo que identifica o quão terrível é um acontecimento na visão da sociedade moderna. Destacado de vermelho as “grandes tragédias” parecem acontecer somente em países como Austrália, Canadá, EUA, Japão ou qualquer um da Europa Ocidental e Escandinávia. Enquanto tragédias muito maiores em qualquer outro lugar são classificadas numa variação que vai do “nossa, que triste” até um clássico “foda-se” para a maior parte do continente africano, berço de toda a humanidade.

mapamundi-cinismo-ilustrado

A nossa origem é mantida em último plano pela mesma ferramenta que nos une. A mídia, principalmente pelas TV’s, tem sido usada para desviar a atenção do que interessa e nos manter longe de nossa realidade. A única salvação a curto prazo tem sido a internet, mas ainda assim está sendo minada pelas mesmas estratégias usadas em outras gerações (“dividir para conquistar”).

A essa altura (ou quem sabe desde o primeiro parágrafo) talvez você esteja pensando “eu entrei aqui para ler sobre Maconha, do que é que esse cara está falando?”, pois é! Todos aqui lutamos por um objetivo em comum que visa legalizar essa erva sagrada, trazida pelos africanos, usada como alívio ao fardo da escravidão, entre outras diversas formas de uso. A Maconha é o ponto chave e a base de um movimento que pode nos unir novamente.

Por conta disso, a galera da Ganja Style se uniu com o SmokeBud para falar sobre as questões do mundo, quebrar paradigmas a respeito do maconheiro e colocar a cada semana um texto para pensar e refletir. Para os leitores desta nova coluna, destino as diversas reflexões que a Maconha nos proporciona ter e espero de coração que possamos atingir nossos objetivos, resgatando nossas origens, questionando o sistema, pensando por si mesmo, procurando formas de quebrar o preconceito, diminuindo o julgamento e melhorando o bem-estar social.

Todas as quintas!
Paz!

Escreva seu comentário

pessoas


Curte nossa nova página no Facebook

Não há comentários ainda, seja o primeiro a comentar!