Para quem já declarou que usou muita maconha até os 50 anos de idade, hoje com 71 anos, o Ex-ministro da Cultura Gilberto Gil dispara: ‘A maconha ajudou a minha música’, auxiliando no seu trabalho como músico, além de acreditar que toda sociedade deveria estar preparada para legalização. As informações são da Yahoo!

O cantor Gilberto Gil, 71, abriu o jogo e revelou que o uso da maconha já o auxiliou no seu trabalho como músico.

“A maconha ajudou a minha música, sempre digo isso com toda a certeza. A maconha me ajudou pela criatividade, pelo modo do seu uso. Para o tipo de uso que eu queria fazer, ela me ajudou, sim”, disparou o famoso à revista “Quem“.

Ainda falando sobre drogas, o baiano afirmou que é a favor da legalização desses tipos de substâncias. “A legalização é mais benéfica do que a manutenção das drogas como questão criminal. Os malefícios causados pela criminalização são maiores do que os malefícios causados pelo uso. O uso monitorado, transformado em questão de saúde pública, diminuiria os malefícios na segurança pública”, opinou.

Quando questionado se a América Latina está preparada para a legalização das drogas, como recentemente ocorreu no Uruguai, Gil enfatiza que, ” Qualquer sociedade deveria estar. As declarações a favor da legalização têm sido feitas por múltiplas personalidades no mundo inteiro. Isso vem crescendo de forma interessante junto à percepção de que a legalização é necessária”.

Em plena atividade aos 71 anos de idade, Gilberto Gil também comentou como faz para cuidar da saúde. “Faço o que for preciso para ficar mais bonito. Não chego a ser metrossexual, pelo que sei dessa definição. Não chego a tanto (risos). Gosto de manter o peso adequado, a musculatura em forma e faço ginástica”. Apesar disso, o cantor disse que nunca se deixou dominar pela vaidade. “Guardo minha vaidade no espelho do meu quarto”.