Uma pesquisa feita por um grupo de historiadores da Califórnia garante que as amazonas – como eram conhecidas as mulheres guerreiras na Antiguidade – lutavam ferozmente como os homens da época, usavam maconha e tinham tatuagens pelo corpo. As informações são do Daily Mail.

Pesquisa revelou também que muitas crenças a respeito das amazonas são mitos

Segundo a publicação, muitos mitos foram criados em torno dessas mulheres. Alguns acreditavam que elas eram contra os homens e matavam todos os que encontravam. Outros dizem que elas eram lésbicas e, uma vez por ano, tinham relações sexuais com homens para tentar perpetuar a espécie, matando os bebês masculinos. Há quem diga que elas cortavam os próprios seios. Nos locais de escavações, em milhares de cemitérios que rodeiam o Mediterrâneo, também foram encontrados juntos aos esqueletos armas, objetos para consumo de maconha e ‘kits’ de tatuagem.

1414615838120_wps_1_E35M7P_According_to_Greek

No entanto, esse estudo – que foi encabeçado pela historiadora Adrienne Mayor e se tornou um livro – As Amazonas, garante que muitas dessas crenças são equivocadas. Há comprovações artísticas e arqueológicas que mostram que elas se relacionavam com homens, assim como qualquer outra mulher. Além disso, diversas imagens mostram as amazonas lutando com armaduras que compreendem o formato de seus seios.

1414615877182_wps_3_BRBYNB_According_to_Greek

“Há milhares de obras de arte gregas antigas que mostram a amazona como uma mulher com peitos”, diz Mayor. Sobre os homens, as amazonas matavam muitos deles, mas tinham relações amorosas com outros, ou seja, o ataque não era feito de maneira sexista.

1414615929239_wps_4_Man_Fighting_Against_Amaz