O aplicativo foi desenvolvido pelo programador norte-americano Todd Mitchem, morador do Colorado, um dos quatro Estados onde o uso da maconha é liberado para fins médico e recreativo. As informações são do O Globo.

Não é sempre que os opostos se atraem. As afinidades também são importantes para um casal, ainda mais quando se trata de tabus, como o uso da maconha. Pensando nisso, Todd Mitchem, um programador de Denver, Colorado, criou o High There, aplicativo de encontros que usa como base a preferência das pessoas pelo uso da droga.

Em entrevista ao site Mashable, Mitchem contou que a inspiração surgiu em um encontro, que terminou abruptamente quando a parceira descobriu que ele era usuário de maconha.

— Nós queremos criar uma tecnologia para resolver o problema de onde milhões e milhões de consumidores de cannabis vão para conhecer pessoas, se conectar com pessoas e construir relacionamentos — disse Mitchem. — Muitas pessoas dizem que é o Tinder da maconha, mas isso é apenas uma das facetas. É muito maior que isso.

A lógica é realmente parecida com a do Tinder. Após fazer o cadastro, o aplicativo faz indicações de perfis de pessoas que estejam nas proximidades e que façam uso da droga. Mas o High There serve não apenas para buscas por um par romântico, como para troca de informações sobre lojas, dicas de consumo ou apenas para marcar um encontro para fumar.

Por respeito às leis, o aplicativo está disponível apenas nos 23 estados americanos que possuem legislações permitindo ao menos o uso medicina da cannabis. A companhia também tem planos para expandir para o Canadá e outros países que modificarem suas leis.

High-There