Você está lendo

Iluminação no Cultivo de Cannabis – Cannabeast

Salve queridos leitores do SmokeBud, voltamos hoje para mais um post fino que vai te deixar um passo mais perto do título de Cultivador Firmeza!!! A Cannabeast acaba de dropar esse artigo que opera milagres te esclarecendo de uma vez por todas uma etapa importantíssima do cultivo de cannabis: iluminação. Muitos growers experienciam problemas com a iluminação do seu cultivo, principalmente quando certos fatores como ser um grower iniciante ou falta de planejamento inicial adequado são somados à essa equação.

Mas calma que tá tudo bem agora.

Introdução à iluminação

Quando falamos de iluminação, provavelmente algumas das primeiras palavras que vem à sua cabeça são sol, lâmpadas e luz. No outdoor as plantas absorvem a luz do sol para fazer a fotossíntese, que nada mais é que o processo necessário para a transformação da luz solar em energia para a planta. Com a maconha não é diferente.

Quem realiza o processo de fotossíntese em maior quantidade é um grupo de pigmentos fotossintéticos chamados de clorofila e que se apresentam na cor verde (Uoooooou!!! Sério, cara?). Mas por mais simples que pareça essa é uma informação relevante pelo fato delas absorverem fortemente os espectros de cores azul e vermelho e refletir (ou absorver menos) o verde (que é o que enxergamos). Mas tranquilo, a gente vai explicar isso com calma.

O que é espectro?

Falamos acima que a planta absorve luz para produzir energia, certo? O que você precisa saber é que nem toda luz é igual. Você já deve ter ouvido algum amigo ou grower na internet falar que “Lâmpadas de vapor metálico (MH) são para o crescimento vegetativo, lâmpadas de vapor de sódio (HPS) são para a floração”, eles só não te explicaram o porquê.

As clorofilas (sim, existe mais de um tipo delas) absorvem certos tipos de temperatura de cor (espectros eletromagnéticos ou comprimento de onda) que são medidos também em Kelvin (K) e os utilizam para gerar energia. Os espectros visíveis da luz são nas cores vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e violeta.

Espectro da Maconha

A luz emitida pelo sol possui todos os espectros visíveis (e muitos outros invisíveis, ex: infravermelho, ultravioleta), e é por isso que existem os arco-íris. Quase todas as plantas podem usar a luz em toda a faixa visível para realizar a fotossíntese, porém alguns tipos de espectro são ainda mais úteis em certos estágios de crescimento de uma planta.

A luz com maior proporção na faixa azul do espectro (5.000~6.500K) vai ser mais utilizada no estágio vegetativo porque ela encoraja o crescimento denso da folhagem, caule e ramificações. Na floração as plantas irão absorver mais o espectro vermelho e laranja (2.000 ~ 3.000K), que também ajudam a desencadear a resposta de um hormônio que é o que faz a floração acontecer.

Sol e Maconha

Isso ocorre naturalmente no cultivo outdoor entre as estações do ano. Durante a primavera e o verão o sol fornece em maior quantidade o espectro azul, e ao fim do verão e início do outono ele fornece mais o espectro vermelho. Essa oscilação também ocorre no período de 24h quando os primeiros raios do sol geralmente possuem em torno de 2.800K, frequência essa que vai aumentando até chegar em cerca de 5.500K ao meio dia e depois voltar a baixar até 2.800K ao fim da tarde.

Iluminação

Tanto a luz azul quanto a luz vermelha vão fazer sua planta se desenvolver. Você encontra muitos growers por aí utilizando lâmpadas fluorescentes brancas da germinação até a colheita e mesmo assim tendo resultados satisfatórios dependendo do número de lúmens fornecidos (explicaremos o que são lúmens mais a frente). Mas quanto maior for a diversidade de espectros fornecidos com potência proporcional à absorção, melhor.

“As plantas com certeza crescem muito melhores e saudáveis quando têm acesso a diferentes espectros de luz, inclusive o verde.” Ed Rosenthal, o bruxão da ganja

Luz e Maconha

Lâmpadas HID (High Intensity Discharge)

As HID, ou lâmpadas de alta pressão, são as lâmpadas para cultivo mais utilizadas ​​ao redor do mundo. Esse tipo de lâmpada possui uma descarga de radiação muito próxima a do sol, tanto na temperatura de cor/espectro (Kelvin) quanto na geração de calor. Elas têm capacidade para serem usadas da germinação até a colheita, e quando usadas com equipamentos de refrigeração adequados já provaram que podem cultivar a melhor erva do mundo.

Mais adequadas para grandes quartos de cultivo e estufas, você provavelmente não vai querer usar sua HID de potência média/alta dentro de uma tenda de cultivo pequena porque ela gera muito calor, e nos dias quentes de verão isso pode dificultar muito o controle do clima. O ideal, caso resolva optar por esse tipo de lâmpada, é ter um quarto ou estufa maior para que o ar quente não vá direto para suas plantas ou então gastar um pouco mais em sistemas de exaustão, cooltubes e ventiladores, que resolverão com maestria o problema. Cultivadores mais experientes utilizam essas lâmpadas em armazéns e espaços maiores, onde consequentemente há mais espaço para a circulação de ar e dispersão do calor.

 

Leia também:  Crack: sujeitos invisíveis e abandonados pela cidadania

Lâmpadas HPS (High Pressure Sodium)

Iluminação HPS na Maconha


As Lâmpadas HPS, ou vapor de sódio, são mais utilizadas na fase de floração porque possuem maior quantidade de espectro na faixa de aproximadamente 2.000K de temperatura de cor.

Como vimos anteriormente essa é a frequência do espectro mais absorvido na fase de floração da cannabis. Você pode notar na imagem acima que as lâmpadas de sódio também fornecem todos os outros espectros de luz, porém em menor quantidade do que o vermelho e o laranja.

São indicadas para produzir buds lindos, bem densos e grandes e é muito usada pelos cultivadores, mas pela sua quantidade maior de fornecimento de espectro vermelho e laranja é ainda melhor usada na floração.

Na prática a cannabis pode ser cultivada sob lâmpadas HPS durante o ciclo completo, porém tendem a crescer mais em altura e com mais nós entre as folhas. Alguns cultivadores utilizam lâmpadas fluorescentes compactas junto às HPS para complementar a luz durante a fase vegetativa.

Elas têm a reputação de serem quentes e precisar de muita eletricidade, mas o que a maioria das pessoas não percebe é que esse tipo de lâmpada vêm em variados tamanhos, assim como as pequenas de 150w. Isso é quase a mesma eletricidade que uma TV de 40 polegadas consome, então ela não vai fazer um grande impacto na sua conta de luz. Porém se você utiliza uma HPS de 1.000w ou mais, pode ser que você tenha que se preparar para pagar as contas no fim do mês.

Vantagens

  • Maior estimulação das flores se comparada às fluorescentes ou de vapor metálico;
  • Maior eficiência luminosa com aproximadamente 6 vezes mais lúmens por watt se comparado a uma incandescente;
  • Ajuda a manter o calor da estufa nos dias mais frios.

Desvantagens

  • Estimula o crescimento das plantas em altura e não densidade;
  • As plantas ficam com um aspecto desbotado e carente de nitrogênio pelo pouco alcance de espectro variado de luz;
  • Necessita de um reator para regulação de voltagem necessária pro funcionamento;
  • Pode esquentar muito em ambientes pequenos e em dias mais quentes;
  • Gasta mais energia que as fluorescentes e LEDs.

Lâmpadas MH (Metal Halide)

Lâmpadas MH na Maconha

Lâmpadas MH, ou vapor metálico, são mais utilizadas no crescimento vegetativo porque possuem maior quantidade do espectro absorvível na faixa de aproximadamente 5.500K de temperatura de cor. Mas assim como a HPS ela vai precisar de um reator, já que as duas fazem parte do mesmo tipo de lâmpadas de descarga de alta intensidade (HID).

Como sua estimulação é mais para a fase vegetativa, muitos growers usam lâmpadas HPS adicionalmente às de vapor metálico ou fluorescentes para completar a variedade de espectros necessários.

Vantagens

  • Produz uma luz semelhante à luz solar;
  • Dura 5 vezes mais do que as incandescentes.

Desvantagens

  • Gastam bastante energia;
  • Elas operam sob alta pressão (até 20 atm) e precisam de reatores especiais;
  • Precisam de alguns minutos para aquecer quando inicialmente ligadas;
  • Produzem menos flores do que outros tipos de lâmpadas de cultivo;
  • Aquecem muito e podem gerar mais gastos com exaustão.

Vejo constantemente growers iniciantes confundindo as lâmpadas de vapor metálico e as chamando de HQI. O termo HQI significa “Hydrargyum Quartz Iodide”, ou  iodeto de quartzo Hydrargyum (mercúrio em latim). Esse termo é uma padronização criada pela marca de lâmpadas Osram. As HQIs podem produzir diferentes tipos de temperatura de cor/espectro dependendo do tipo de metal com o qual são fabricadas e a sigla HQI significa só que elas são lâmpadas de melhor eficiência luminosa (lúmens por watt).

Florescimento da Ganja

Fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes vêm em diferentes formatos, e o mais comum são aqueles que você com certeza já viu a galera do Jackass quebrando na costela uns dos outros. Apesar de serem mais eficientes que as incandescentes (produzem mais luz por menos eletricidade), elas produzem um limitado espectro de luz (azul/fria em sua maior parte) que não é adequada para estimular a floração nas plantas.

As LFC, ou lâmpadas fluorescentes compactas, são outro formato popular de lâmpadas fluorescentes que também são mais eficientes se comparadas às incandescentes, usando menos energia e durando mais.

Vantagens

  • São baratas e fáceis de usar já que não precisam de um reator e podem caber em pequenos espaços para grows pequenos;
  • Maior tempo de vida em comparação às incandescentes, de 10 a 20 vezes;
  • Pouca produção de calor.

Desvantagens

  • As fluorescentes produzem uma variedade limitada de espectro de luz, não sendo adequada para a estimulação da floração.
Iluminação LED na Maconha

LED (Light Emitting Diodes)

As lâmpadas LED para cultivo indoor são consideravelmente novas na cena grower, mas têm todo o potencial necessário para ser o futuro do cultivo. São muito populares entre os growers como uma alternativa às luzes HPS, e algumas dessas razões é por serem muito mais energeticamente eficientes e também oferecerem todo o espectro de luz que a planta requer em todo seu ciclo de vida. Seu funcionamento é muito mais frio e algumas ainda vêm com ventilação embutida em seus painéis.

As menores ainda podem ser simplesmente ligadas na tomada e penduradas por cima das plantas, o que torna elas definitivamente mais fáceis de usar do que as HPS ou MH. Essas também possuem grande penetração de luz entre as plantas, então elas não precisam ser movidas frequentemente ou colocadas dos lados da estufa de cultivo.

Vantagens

  • As full spectrum produzem os dois extremos da variedade de espectro (vermelho e azul) ao mesmo tempo;
  • Altamente eficiente no quesito energia, quase todos os watts são convertidos em luz aproveitada;
  • Mínima emanação de calor, o que pode reduzir o custo em ventilação e exaustão;
  • Por não esquentarem tanto elas podem ser utilizadas em estufas menores.

Desvantagens

  • São mais caras de se adquirir;
  • Apesar das LEDs serem mais frias do que as outras lâmpadas, elas ainda produzem calor e as de tamanhos grandes tipo 300 watts pra mais ainda precisam de ventilação para garantir que seu grow não fique tão quente.

Agora que você conhece os tipos de luzes de cultivo disponíveis no mercado, seguindo algumas dicas você pode comprar com segurança a luz mais indicada às suas necessidades. Alguns dos growers mais experientes aconselham que se você é iniciante, adquirir uma lâmpada LED full spectrum (que provém todos os espectros necessários) é uma boa pedida já que são muitas as coisas com que você já tem que se preocupar, como um investimento em bom solo, controle de clima, fertilizantes, controle de peste e rega.

A iluminação é definitivamente uma grande parte da equação, e um painel de LEDs, por exemplo, pode ser um respiro de alívio em qualquer operação de montagem pela fácil usabilidade. Mas se seu orçamento é curto, lâmpadas mais baratas como a HPS misturada às fluorescentes ou às de vapor metálico vão dar o espectro necessário de todo o ciclo de vida, possivelmente dando preferência ainda para as fluorescentes pelo menor custo energético da lâmpada, menor produção de calor e maior praticidade.

Por isso é importante constar que mesmo que uma lâmpada com uma melhor tecnologia como a LED pode parecer mais cara num primeiro momento, suas vantagens podem acabar fazendo dela a opção mais econômica a longo prazo, como seu gasto de energia eficiente (70% a mais que as HPS) e sua grande durabilidade (se adquirida uma de 50.000 horas, ligada por 12 horas ao dia, a mesma dura em torno de uns 10 anos).

Bud de Maconha, vários!

Rendimento

Lâmpadas para cultivo de cannabis vem em vários tipos, tamanhos e média de preços. Tenha em mente que bons cultivadores produzem em média 0.5 gramas de flores por cada watt de energia e luz gasto. Ou seja: com um lâmpada HPS de 1.000w, você produzirá em média 500 gramas de belas flores fumáveis. O valor depende um pouco da experiência do próprio grower e a genética que ele está usando.

Afinal, o que são os lúmens?

Quando o assunto em questão é lâmpadas, a unidade utilizada para a mensuração da quantidade de luz emitida são os lúmens (lm). Pense sempre que eles são uma nova forma de saber o quão brilhante sua lâmpada é. Em outras palavras, quanto maior for a quantidade de lúmens em uma lâmpada, maior será seu brilho e vice e versa.

 Eficiência luminosa

A maioria das pessoas na hora de comprar uma lâmpada para cultivo indoor ou mesmo para sua sala ou cozinha não leva em consideração a quantidade de Lúmens por Watt. Essa comparação nos mostra a quantidade de luminosidade que uma lâmpada pode gerar em relação ao seu consumo de energia (Watts). Então a dica é: na hora de escolher sua lâmpada, escolha sempre pela quantidade de lúmens e não pelo seu consumo de energia. Desse jeito você vai estar economizando uma boa grana a longo prazo.

Quanto menor for o gasto de energia, a manutenção das lâmpadas e maior a quantidade de dúvidas sanadas na hora de adquirir a sua, melhor compra você vai fazer.

No post anterior já foram respondidas algumas dúvidas da galera e a gente agradece a participação e os elogios, raça! Reiterando que qualquer dúvida ou sugestão podem ser deixadas aqui nos comentários que a gente responde tudo. Let’s grow!

Boa colheita,
Equipe CannaBeast

 

Leia também:  Haxixe, Haxix, Haschisch e Haschischins - Entenda a influência destas palavras na atualidade

Carol & Lucas

CannaBeast traz diretamente de uma das cidades mais legalizadas do país que é Floripa pra falar pontualmente a cada quinzena sobre cultivo indoor e outros assuntos relacionados, que com certeza vão te colocar na cena grower e fazer de você um cultivador de bowl cheio. Oferecido pela crew da Cultiva Growshop, Fire!

Últimos posts por Carol & Lucas (exibir todos)

medico maconha

Comente

Escreva seu comentário