Você está lendo

Introdução ao Cultivo de Cannabis – CannaBeast

Fala, rapazeada!!! Nós da crew da Cultiva Growshop estamos invadindo o SmokeBud e é por um bom motivo. A partir de hoje, numa monstruosíssima parceria, vamos trazer pra vocês conhecimento canábico de primeira e com total exclusividade. A nossa mais nova coluna aqui vai ser quinzenal e vai chegar de drone de Floripa para o mundo, aterrisando aqui pontualmente nas quintas-feiras.

Nosso objetivo aqui é fazer com que você saia um canábista formado e diplomado na arte do cultivo, pode chamar esse mais novo espaço aqui no site de CannaBeast. Você com certeza não vai querer perder essa mais nova collab que promete incendiar muito verde daqui pra frente.

Se você ainda tá aqui me lendo provavelmente é porque quer aprender a cultivar cannabis ou está interessado em um tutorial sobre cultivo indoor online que facilite o entendimento e que te ajude a cultivar uma das melhores ervas do mundo dentro de casa.

Iremos te ensinar desde a introdução ao cultivo indoor à germinação de sementes, até as técnicas avançadas e dicas dos maiores growers do mundo. Então sit back, relax e chega junto nessa jornada em busca do bud de ouro. Mas antes disso, queremos te lembrar que o espaço dos comentários logo abaixo é seu e serve pra você tirar dúvidas, dar sugestões, levantar um debate ou criticar a gente também (nesse caso vamos te xingar e apagar seu comentário). A gente promete que vai ler tudo, responder com carinho e dialogar com vocês de forma real aqui na coluna.

Nesse post inaugural da CannaBeast vamos falar sobre alguns aspectos gerais da cannabis e uma pequena introdução do seu cultivo. Apesar do que você possa ter ouvido falar por aí, cultivar sua própria maconha é uma tarefa fácil quando se tem uma fonte de informação correta. Qualquer pessoa com vontade de iniciar seu primeiro cultivo indoor ou outdoor e que dispuser de alguns minutos diários para dedicar ao aprendizado e a prática, pode em algum tempo ter a experiência necessária para cultivar maconha de alta qualidade e quem sabe até se aventurar nas copas de cannabis que ocorrem no Brasil e no mundo. Let’s grow!

Cultivo de cannabis

Antes de mais nada, vamos de conhecimento básico. A cannabis é uma planta dióica, ou seja: ela possui uma planta fêmea e outra macho. O macho produz sacos que contém pólen e a fêmea produz flores.

Planta maconha fêmea
Planta cannabis fêmea
Maconha Macho!
Planta cannabis macho

 

O contato do pólen do macho com as flores da fêmea é o que gera (normalmente) as sementes. Existem formas de produzir sementes com plantas fêmeas sem o pólen da planta macho, gerando as tão famosas sementes feminizadas.

Na natureza, ela é classificada como uma planta anual. A semente, plantada na primavera, irá crescer durante o verão onde os dias são mais longos, e florescer naturalmente no outono onde os dias são mais curtos. Esse mesmo ciclo vai se repetir quando as sementes produzidas germinarem no ano seguinte.

Claro que existem variedades de cannabis que são classificadas como as automáticas, que completam todo seu ciclo de vida da germinação à colheita de 2 a 4 meses, mas nesse assunto vamos nos aprofundar só um pouco mais pra frente pra não fugirmos do tema.

Os estágios de crescimento da cannabis são divididos em 4, e são eles:

  • Germinação
  • Muda
  • Crescimento vegetativo
  • Floração

Você também deve saber que existem mais 3 estágios que vêm após a floração e são necessários para que você tenha flores fumáveis, que são:

  • Colheita
  • Secagem
  • Cura

A cannabis é uma planta com poucas necessidades. Suas plantas vão crescer bem enquanto você as der a quantidade certa das seguintes fontes:

  1. Luz
  2. Ar
  3. Meio de cultivo (solo, substrato, hidroponia…)
  4. Água
  5. Temperatura
  6. Nutrientes

Se você está pensando em embarcar nesta jornada, tenha em mente que você terá que fornecer estes 6 elementos em quantidades adequadas para no fim ser recompensado com uma boa colheita.

Cultivar cannabis é muito semelhante a cultivar qualquer outro tipo de vegetal ou flor, porém como um alface que necessita de mais nitrogênio para crescer do que outros nutrientes, a cannabis também tem suas preferências para cada fase de seu desenvolvimento.

Germinação

Durante a germinação, a umidade, o calor e o ar ativam hormônios no interior da casca que envolve a semente, o que faz com que ela se rompa surgindo assim um broto. Se a semente for plantada diretamente no solo, a raiz vai crescer para dentro do substrato e o broto vai se desenvolver e subir para a superfície em busca de luz.

Para germinar, a semente de cannabis não precisa de nenhum tipo de fertilizante, hormônio extra ou luz, e se cuidadas corretamente elas germinarão em um período que varia de 2 a 7 dias e em temperaturas que podem variar de 20º à 32º.

Existem diferentes maneiras de germinar uma semente de cannabis e cada uma delas tem seus prós e contras. Você pode usar a técnica do papel toalha, plantar elas diretamente no solo, utilizar células de germinação ou até mesmo  em um copo com água, mas dedicaremos um post exclusivamente pra te ensinar cada uma destas técnicas e todos seus truques aqui na coluna um pouco mais pra frente.  Adicionalmente à isso, é importante saber que a água mineral pura já contém os minerais necessários para o desenvolvimento da semente durante as primeiras semanas.

Leia também:  Chapado vs Bêbado, O teste !

Muda

O broto ou muda possui duas pequenas ‘folhas’ chamadas cotilédones. Nessa fase de desenvolvimento o broto não precisa necessariamente de nutrientes externos para crescer, e deve receber de 16 à 24 horas de luz por dia para ter um desenvolvimento rápido e saudável.

No cultivo outdoor você precisa ter um cuidado extra nesta fase, porque o sol pode rapidamente deixar seu meio de cultivo muito seco e quente, o que pode acabar matando a planta. Já no cultivo indoor, uma lâmpada fluorescente branca vai funcionar muito bem nessa fase e vai fornecer toda a luz que o pequeno broto precisa para chegar no próximo estágio com sucesso.

Crescimento vegetativo

Quando sua muda de cannabis começar a desenvolver o caule e criar novas folhas é sinal do início de sua fase vegetativa de crescimento. Esse estágio é o período em que sua planta vai se concentrar em ficar grande e forte. As plantas crescem mais rápido na fase vegetativa, e é possível muitas vezes ver a diferença no desenvolvimento de um dia para o outro. É nessa fase também que entram a maioria das técnicas avançadas de cultivo indoor.

No crescimento vegetativo a planta precisa mais de nitrogênio do que de fósforo e potássio para se desenvolver. Existem uma infinidade de tipos e marcas de fertilizantes no mercado, mas para marinheiros de primeira viagem indicamos começar sempre com produtos orgânicos. Fertilizantes orgânicos agridem menos o solo e são digeridos e quebrados em partes menores por bactérias e fungos benéficos para enfim serem absorvidos pela planta.

Manter sua planta de cannabis iluminada com 16 à 24 horas de luz vai fazer com que ela se desenvolva em altura e largura. As folhas vão aumentar de tamanho e quantidade, o caule vai engrossar e vão surgir novas ramificações e nós a cada semana.

Algumas variedades de cannabis podem se desenvolver melhor nessa etapa com mais ou menos luz diária. Alguns growers gostam de deixar a planta em regime completo de 24h de luz, o que faz as plantas crescerem mais rápido por receber mais iluminação diária, e outros no 18/6 (18 horas de luz e 6 de escuridão). A verdade é que algumas variedades podem se sentir desconfortáveis e estressadas se o regime de luz for muito intenso, e em alguns casos isso pode resultar até no hermafroditismo. Além de que um regime completo de 24 horas pode aumentar bastante sua conta de luz.

Mas se o tempo em que as suas plantas ficam expostas a luz for muito curto, você corre o risco de uma floração precoce. Então se seu cultivo for outdoor você deve respeitar as estações do ano ou colocar uma lâmpada ligada ao fim do dia que supra as horas de luz mínimas para que ela não floresça antecipadamente e, consequentemente, tenha pouco rendimento.

A planta cannabis vai se manter nessa fase e não vai florescer enquanto for fornecido mais de 16h de luz diária. Na natureza, como a gente já falou aqui antes, os dias ficam mais curtos no início do outono, e quando as horas de luz chegam aproximadamente a 12/12 (12 horas de luz e 12 horas de escuridão), aí sim é chegada a nova fase.

Floração

A fase de floração começa quando a planta está em regime de 12/12 e na natureza isso ocorre no outono. Já os cultivadores indoor devem fazer isso artificialmente, diminuindo as horas de luz com a ajuda de um timer/temporizador fazendo a planta entender que é a hora de começar a dar flores.

Nessa etapa é que elas vão revelar seu gênero. As plantas macho vão começar a desenvolver pequenas estruturas parecidas com cachos de uva chamadas de sacos de pólen, e já as fêmeas vão desenvolver alguns pêlos brancos que vão sair dos nós/articulações e são chamados de pistilos.

Mudanças no fotoperíodo nessa fase podem dificultar seu cultivo se você não mantiver períodos noturnos consistentes, pois elas podem parar de florescer e reverter para a fase vegetativa ou, mais uma vez, existe a possibilidade de ela se transformar em um hermafrodita. Uma planta hermafrodita é uma planta com partes masculinas e femininas e que não desenvolve flores robustas, ou seja: você não quer que isso aconteça.

Para desenvolver suas flores a planta absorve mais fósforo e potássio do que nitrogênio, e existem muitos tipos e marcas de fertilizantes e suplementos para essa fase. Alguns compostos por macro e micronutrientes e outros por proteínas, enzimas e até fungos e bactérias benéficos.

O fim da floração varia no quesito tempo de uma planta para outra, e a época da colheita ocorre geralmente quando mais de 40% dos tricomas oxidaram (ficaram na cor marrom/âmbar). Alguns growers esperam até que a metade ou mais dos tricomas escureçam, e isso influencia tanto nos efeitos quanto no sabor e aroma da flor, variando bastante do gosto de cada cultivador.

Antes de colheita os cultivadores mais experientes e dedicados lavam o substrato durante uma semana com água pura ou com micro dosagens de fertilizantes, técnica que chamada flush. O flush retira o excesso de fertilizantes e minerais da terra e melhora a qualidade e aroma da erva.

Leia também:  Justiça dos EUA autorizam bancos a operar com negócios de venda de maconha

 

Colheita

Harverst time!!! Chegou o grande dia da colheita e você precisa pensar em alguns pontos antes de começar o corte na planta. A manipulação inadequada dela pós-colheita pode diminuir a potência do THC. A exposição à luz prolongada, temperaturas acima de 27º, contatos excessivos com as mãos e alta umidade devem ser evitados.

É nessa parte que o cultivador precisa realizar um processo de limpeza e retirada das folhas da planta, processo chamado de manicure. A limpeza e corte das folhas da planta é feito com uma tesoura para poda e de preferência deve ser realizada logo após a colheita, onde as folhas ainda estão fáceis de se manipular.

Se você não podar os galhos e as folhas eles vão secar e morrer, o que pode acabar atraindo mofo e bolor. Não jogue as folhas fora! Você pode fazer um bom hash com elas depois.

Secagem

O processo de secagem ideal é em ambiente seco, com umidade variando de 50% a 60%, sem a presença de luz solar e com uma brisa de ar corrente. Isso leva de 5 dias a até um mês levando em conta variáveis de clima e o ambiente onde é feita a secagem.

Evite deixar os buds muito aglomerados, deixe eles livres e separados. As flores depois da secagem tem cerca de 75% menos de peso do que tinham antes, e para saber se estão secas a dica é tentar quebrar o galho que une os buds. Se ele fizer som de quebra e realmente quebrar ela está seca. Se ele só entortar e não quebrar é porque ainda faltam alguns dias. Se seu galho quebrou facilmente as suas flores de cannabis estão prontas para a última fase.

 

Cura

Daí que você se dedicou durante meses e agora tem em mãos muitos buds secos e a vontade de fumar eles tá maior do que nunca. Mas você foi lá, caiu na tentação e escolheu aquela melhor flor de todas para tirar sua primeira prova. O que você acaba percebendo é que ela acabou arranhando a garganta e o gosto e o aroma não está do jeito que você pensava. Só daí que você lembra dos ensinamentos dos brothers do CannaBeast e sabe que ainda falta uma etapa para ter os melhores buds do mundo: a cura! Essa é a hora que você pensa: “E agora, CannaBeast?! Como é que vou conseguir me segurar?!”. Muita calma nessa hora! Separa um galho para matar essa sua ânsia e fale pra si mesmo: “eu vou conseguir”. E então você está pronto para esperar mais algumas semanas em prol de uma boa cura, principalmente porque é um processo extremamente importante.

É durante a cura que a flor de cannabis vai liberando seus terpenos e terpenóides (monoterpenos). Os terpenos são substâncias naturais produzidas por processos químicos como a oxidação, e o aroma e sabor característicos de cada variedade de cannabis está diretamente relacionado ao conjunto de terpenos que cada planta libera. É durante o processo de cura que a planta vai liberando esses novos sabores e aromas. Como uma cerveja que é produzida com diversos tipos de lúpulo para ter um sabor característico (nesse caso, cada tipo de lúpulo possui um conjunto de terpenos), cada variedade de cannabis tem o seu.

A cura consiste em retirar suas flores dos galhos em pedaços manuseáveis e colocar eles em um pote ou envase hermeticamente fechado, abrindo o pote para renovação do ar de uma a duas vezes ao dia. Se na secagem a umidade tem que estar a 50%, na cura o ideal é ela estar um pouco mais elevada, de 60% a 65%. Alguns growers utilizam produtos como o Boveda 62%, um gel que em ambiente hermético deixa a umidade na porcentagem perfeita para a cura. Você pode encontrar ele no growshop mais próximo de você.

O processo de cura dura normalmente de 1 a 3 semanas, mas como um whisky, ele pode durar por tempo indeterminado. A cada semana as flores liberam novos aromas e sabores, então vale a pena reservar um pouco da sua colheita para uma cura perfeita, você não vai se arrepender.

E com essa a gente fecha nosso post inaugural da nova coluna da Cultiva Growshop aqui no no Smoke Bud. Fica ligado aqui que daqui a pouco tem mais, e se ficou alguma dúvida, não deixa de explanar aqui nos comentários que a gente esclarece a mente. Valeu tio(a)!

Abraço,
Equipe CannaBeast

Carol & Lucas

CannaBeast traz diretamente de uma das cidades mais legalizadas do país que é Floripa pra falar pontualmente a cada quinzena sobre cultivo indoor e outros assuntos relacionados, que com certeza vão te colocar na cena grower e fazer de você um cultivador de bowl cheio. Oferecido pela crew da Cultiva Growshop, Fire!

Últimos posts por Carol & Lucas (exibir todos)

medico maconha

Comente

Escreva seu comentário