Duas instituições educativas da Jamaica receberão em breve uma licença para cultivar maconha com fins de pesquisa, iniciativa possível graças às emendas aprovadas para a descriminalização da erva nesse país caribenho. As informações são da EFE via Uol.

O ministro de Ciência, Tecnologia, Energia e Mineração, Phillip Paulwell, indicou que a Universidade de Tecnologia, mais conhecida como UTech, e a Universidade de West Indies serão os primeiros dois centros educativos a receber as licenças e deverão cumprir com requisitos estritos, segundo publicou nesta quinta-feira o jornal “The Jamaica Observer”.

“Se a Jamaica quer se posicionar como um centro de excelência para a pesquisa da “ganja” -termo usado pelos rastafaris para a maconha-, o país deve ser o lugar de pesquisa e desenvolvimento da ganja”, disse Paulwell.

Além disso, Paulwell indicou que a licença será emitida para um período específico e que as atividades de pesquisa serão supervisionadas pelas autoridades.

Segundo apontou o Ministério da Justiça da Jamaica, a nova legislação que na quarta-feira começou a ser aplicada, “abre o caminho para que seja criada uma indústria legítima de maconha medicinal que terá oportunidades e benefícios econômicos muito significativos”.

Apesar de seu consumo ser totalmente legal para os que contam com uma licença, que será concedida aos jamaicanos que demonstrem interesses religiosos ou medicinais, o Ministério da Justiça não anunciou data para o estabelecimento oficial da Autoridade de Permissões de Cannabis que emitirá as licenças.