Jogador da NBA é suspenso pelo uso de maconha e defende legalização da substância por acreditar nas capacidades medicinais da erva. As informações são da ESPN

Horas depois de ficar ciente que havia sido punido pela NBA por cinco partidas pelo uso de maconha, o pivô do Milwaukee Bucks Larry Sanders se disse um estudioso e saiu em defesa da legalização da maconha.

Sanders disse que as polêmicas a cerca da maconha são por conta da proibição. E uma vez que a erva for legalizada “tudo isso vai desaparecer”.

“É algo que eu sinto que vai acontecer, só para deixar vocês saberem algo da minha vida pessoal. Eu vou lidar com as consequências disso. É uma substância ilegal na minha liga. Mas eu acredito na maconha e o lado medicinal dela. Eu sei o que é se vou usar”, disse Sanders, após a derrota dos Bucks para o Chicago Bulls na sexta-feira.

“Você não pode rotular com tantas drogas que podem causar vício nas pessoas e ter tantos efeitos negativos no seu corpo e afetar o relacionamento com sua família. Isso não é a mesma coisa. O paradigma é que é ilegal. Eu odeio isso. Uma vez que se tornar legal, toda essa polêmica vai acabar”, analisou.

“Mas eu entendo que para o meu trabalho é uma substância ilegal. Eu vou lidar com as consequências e pedir desculpas a meus fãs por isso”, completou o pivô.

Sanders não é o primeiro atleta dos esportes americanos a sair em defesa da maconha. O cornerback do New York Jets Antonio Cromartie e o técnico do Seattle Seahawks, Pete Carroll, também se manifestaram a favor do estudo em cima da substância.