Você está lendo

Justiça da Flórida apoia referendo sobre legalização da maconha

Os eleitores da Flórida, sudeste dos Estados Unidos, poderão decidir por votação popular a legalização da maconha para uso medicinal, segundo decisão da Suprema Corte do estado, em uma votação apertada, nesta segunda-feira (27).

“A emenda proposta tem uma identidade ideológica e natural de propósito, que é especificamente permitir o uso restrito da maconha, em casos de doenças debilitantes”, destacou a sentença, decidida por 4 votos a 3.

A decisão representa uma vitória para o advogado John Morgan, impulsionador da campanha para a legalização da maconha para doenças catastróficas e crônicas, realizada pela organização People United for Medical Marijuana (Pessoas Unidas pelo Uso Medicinal da Maconha ou PUFMM, na sigla em inglês), com sede em Orlando (região central da Flórida).

A procuradora-geral Pam Bondi, que se opôs a que o tema fosse incluído na cédula de votação das próximas eleições locais, previstas para 4 de novembro, não reagiu à decisão por enquanto.

A campanha favorável ao uso medicinal da maconha na Flórida coletou as assinaturas necessárias para ser submetida a um referendo em novembro, mas a decisão da Suprema Corte estadual era crucial para fazer a consulta.

Leia também:  Jovens franceses são os maiores consumidores de maconha da Europa

Os defensores da medida tinham prazo até 1º de fevereiro para reunir 683.149, mas segundo dados oficiais divulgados pela Divisão de Eleições do governo da Flórida, até a sexta-feira passada tinham sido coletadas 722.416 assinaturas.

“Estamos contentes por ter alcançado o número de assinaturas necessárias para incluí-lo na cédula”, disse Ben Pollara, líder da campanha do PUFMM, intitulada “United for Care”.

Pollara também expressou a expectativa de que existe a possibilidade de que nas próximas eleições, “Flórida faça história e ajude os ‘floridanos’ (rd: naturais do estado) a decidir sobre uma lei compassiva”.

O governador do estado, o republicano Rick Scott, assim como os legisladores locais, majoritariamente conservadores, expressaram sua oposição a esta emenda.

A proposta de legalizar a maconha com fins medicinais na Flórida indica que seria permitido “o cultivo, a compra, a posse e o consumo de maconha para tratar Alzheimer, caquexia, câncer, dor crônica e distúrbios crônicos do sistema nervoso”.

O projeto de lei também inclui, entre os beneficiários os pacientes da “doença de Crohn, epilepsia e outro tipo de convulsões, glaucoma, HIV/Aids, esclerose múltipla, Parkinson, espasticidade ou outras doenças ou condições nas quais (o uso da maconha) seja recomendada por um médico”.

Leia também:  Canabidiol sai da lista de proscritos da ANVISA

Em 8 de janeiro passado, Nova York anunciou a autorização do uso da maconha com fins médicos, tornando-se assim o 21º estado do país a flexibilizar a legislação sobre a droga.

Em outubro, pela primeira vez, em uma consulta do instituto Gallup, a maioria dos americanos (58%) se disse a favor da legalização da maconha.

Via AFP / EM

Pontinha

SmokeBud é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. http://www.smkbd.com
medico maconha

Comente

Escreva seu comentário