Quem fuma maconha fica na larica e é capaz de devorar o que aparecer pela frente. Por incrível que pareça, essa fome provocativa tem a ver com o olfato. Estudo mostra como a maconha age sobre o bulbo olfativo.

Em algumas regiões do Brasil, o termo larica se refere a qualquer lanche, a uma refeição, a uma boquinha. Já em outras, a palavra é carregada de um significado mais específico: a intensa vontade de comer que toma conta do usuário de maconha após consumir a planta.

A causa do aumento do apetite, conforme um estudo internacional publicado na revista Nature Neuroscience, não está ligada a nenhum componente secreto da maconha. A substância responsável pelo fenômeno é o principal ingrediente da erva, o tetraidrocanabinol (THC).

De acordo com os experimentos realizados em ratos, o THC aguça a percepção dos bulbos olfatórios. Isso coloca o organismo em um grau apurado de sensibilidade para o olfato e também o paladar. Cheiros e sabores ganham relevância no cérebro, o que estimula a vontade de comer.

Os camundongos submetidos à pesquisa foram divididos em dois grupos. Alguns receberam doses de THC, enquanto outros não. A todos, foram oferecidas porções de banana e óleo de amêndoas. Os cientistas puderam observar, então, que os ratos sob efeito do ingrediente da maconha gastavam mais tempo cheirando o alimento, e comiam mais do que o outro grupo.

O cérebro só reconhece a ação do THC se possuir o endocanabinóide, receptor da substância. Em seres humanos, o sistema endocanabinóide tem um papel importantíssimo, ajudando a controlar dor, emoções, sensibilidade e memória, além do apetite. É por esta razão que o uso da maconha causa tantas alterações peculiares.

Alguns dos ratos usados nos testes foram geneticamente modificados para não possuir os receptores endocanabinóides. No caso deles, o THC não produziu nenhum efeito. [Gizmodo / Nature / Motherboard]

Via Hype Science

Na Pontinha… 

As pesquisas a respeito da erva ainda estão engatinhando, mas os cientistas esperam que, à medida que a ação da maconha seja desvendada, mais usos médicos ela proporcione. Por enquanto, o uso medicinal da droga em pacientes com câncer ou portadores do vírus HIV ajuda, também, a aumentar o apetite. E agora você já sabe por quê!

Qual é a sua opinião quanto ao uso da maconha como um estimulador de apetite em pacientes? Comente!