“A legalização da maconha está praticamente assegurada nos EUA. Já ocorreu em três Estados e deve irradiar para o restante do país”, disse o especulador George Soros, que defende a descriminalização das drogas leves; ele também defende incentivos fiscais à filantropia; “Haverá um número maior de bilionários brasileiros inclinados à filantropia se houver legislação favorável. O Brasil poderia aumentar impostos sobre heranças, dando isenção para quem doar esse montante para filantropia. Taxas e impostos devem servir para redistribuir renda”. As informações são do Brasil 247

O bilionário George Soros, um dos mais notórios especuladores financeiros globais, concedeu uma entrevista à jornalista Fernanda Mena (leia aqui), em que defendeu temas de alcance social, como a descriminalização das drogas leves e estímulos fiscais à filantropia.

“Acho que dependência de drogas é um problema insolúvel porque, de alguma maneira, é inerente à natureza humana. Nem todo o mundo se torna dependente de drogas, mas algumas pessoas, sim. E eu não conheço a solução para isso, mas sei que a guerra às drogas, que trata aqueles que sofrem de dependência como criminosos, tem causado mais danos do que a dependência em si”, disse ele.

Soros trata a legalização da maconha como um fenômeno irreversível. “Acho que a legalização da maconha está praticamente assegurada nos EUA. Já ocorreu em três Estados e deve irradiar para o restante do país.”

Ele também falou sobre filantropia e defendeu uma maior taxação sobre heranças, como estímulo às doações. “Haverá um número maior de bilionários brasileiros inclinados à filantropia se houver legislação favorável. O Brasil poderia aumentar impostos sobre heranças, dando isenção para quem doar esse montante para filantropia. Taxas e impostos devem servir para redistribuir renda.”