Com o fim do proibicionismo avançando em solo norte-americano, vemos diversos mitos sendo derrubados. E o da vez é o de que a legalização vai induzir o aumento do uso de drogas por jovens e adolescentes.

O primeiro estudo abrangente sobre o uso de drogas entre adolescentes nos estados onde a maconha está disponível para usos médicos mostra que isso simplesmente não aconteceu. Quem sabe isso tranquilize uma sociedade governada por políticos proibicionistas.

O estudo, publicado no Journal of Adolescent Health, é extremamente importante no debate em curso sobre a legalização da maconha para fins recreativos.

Os autores, liderados por Esther K. Choo, do Alpert Medical School da Universidade de Brown, revelam:

Nosso estudo sugere que – pelo menos até agora – a legalização da maconha para fins médicos não aumentou o uso de maconha na adolescência, uma descoberta apoiada por um corpo crescente de literatura sobre o assunto.

Os pesquisadores analisaram o uso da maconha relatado por adolescentes nos estados onde a maconha medicinal é legal agora, antes e após as leis terem sido aprovadas, comparando os números com estados vizinhos, onde a maconha permanece ilegal para todos os fins, o controle de fatores demográficos, como sexo, idade e raça pode afetar o resultado.

Aperte e leia: Jovens trocam álcool pela maconha

O estudo utilizou dados recolhidos através dos Centros de Controle de Doenças, que é administrado a cada dois anos pelas escolas municipais e estaduais.

Embora o uso de maconha continue sendo comum entre os adolescentes, com um terço dizendo que havia experimentado a erva antes e um quinto relatando que continuou o uso após um mês, os resultados do estudo das leis de maconha medicinal mostram que não aumentou o uso por adolescentes em todo o estado.

Esperamos que essa informação forneça segurança para políticos, médicos, pais e toda sociedade que possuem dúvidas sobre os efeitos da legalização da maconha.

Com informações The Whashington Post / HuffPost